Sexta-feira, 19 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,58
euro R$ 6,09
libra R$ 6,09

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,58
euro R$ 6,09
libra R$ 6,09

Política Quarta-feira, 19 de Junho de 2024, 18:06 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Quarta-feira, 19 de Junho de 2024, 18h:06 - A | A

BOMBEIROS, PM E PJC

AL derruba veto de Mendes a PL que determina gravação de treinamentos militares

Projeto foi proposto após o aluno bombeiro Lucas Veloso Peres, de 27 anos,  morrer afogado em treinamento do Corpo de Bombeiros na Lagoa Trevisan

CAMILA RIBEIRO
Da Redação

Os deputados estaduais derrubaram nesta quarta-feira (19) o veto do governador Mauro Mendes (União Brasil) ao projeto de lei 360/2024 de autoria de Wilson Santos (PSD) que obriga as forças de segurança do Estado a fazerem o registro audiovisual de atividades consideradas de alto risco durante os cursos de formação dos aprovados em concurso. O PL foi proposto após o aluno bombeiro Lucas Veloso Peres, de 27 anos, morrer afogado no curso de formação do Corpo de Bombeiros. Ele não resistiu aos afogamenots que sofreu na Lagoa Trevisan, em Cuiabá. 

LEIA MAIS: ALMT aprova a gravação dos treinamentos físicos das forças de segurança

Ao todo, foram derrubados setes vetos de Mendes e mantidos 15. Na próxima sessão ordinária, a expectativa é que outros 26 vetos sejam votados. 

O deputado Júlio Campos (União Brasil) falou que ficou "surpreso" com a chegada do veto à Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR). Ele disse que não consegue entender o motivo de o governador reter a pauta, uma vez que Mauro editou decreto estabelecendo a medida. 

"Ficamos surpresos ontem na Comissão de Constituição e Justiça quando analisamos esse veto. Houve uma discussão profunda, pois o governador havia feito um decreto logo após a morte do Veloso para fazer a gravação e fiscaliazar os treinamentos, não só dos Bombeiros, como da Polícia Militar e Polícia Civil", disse Júlio. 

Campos acrescentou que a intenção da AL foi "melhorar" o texto do governo, ouvindo os seguimentos interessados. "Nós fizemos um projeto mellhroando esse decreto e ele vetou, não sei por qual razão. Ouvimos os bombeiros, militares, todo o pessoal de segurança nos deu assessoria, ouvimos a família dos cidadãos que morreram fruto desses treinamentos", explicou. 

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros