Terça-feira, 25 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,39
euro R$ 5,79
libra R$ 5,79

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,39
euro R$ 5,79
libra R$ 5,79

Polícia Sábado, 18 de Maio de 2024, 08:07 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Sábado, 18 de Maio de 2024, 08h:07 - A | A

EM QUINA DE MÓVEL

Proprietária de creche confessa ter batido cabeça de bebê que morreu de traumatismo crâniano

As proprietárias do berçário Espaço Criança Feliz foram indiciadas por homicídio culposo

DA REDAÇÃO

Uma das proprietárias da creche Espaço Criança Feliz confessou ter batido a cabeça do bebê Vicente Camargo, de apenas cinco meses, que morreu em decorrência da lesão no dia 17 de abril. Ela e a sócia foram indiciadas por homicídio culposo, isto é, quando não há intensão de matar. De acordo com o que relatou a mulher à Polícia Civil, Vicente se lesionou na quina de uma mesa. 

LEIA MAIS: Proprietárias da creche onde bebê morreu são indiciadas por homicídio culposo

Inicialmente, as proprietárias da creche informaram que Vicente havia se engasgado e foi encontrado 'roxinho' pelas cuidadoras da creche durante o período da soneca. Ele chegou a ser encaminhado ao Hospital Santa Rita, em Várzea Grande, onde também fica localizado o berçário, mas já deu entrada morto no local. 

O inquérito policial foi instaurado pelo delegado Marlon Luz para apurar a morte da criança. Durante as investigações, foram realizadas as oitivas de familiares, testemunhas e funcionários da creche. O delegado requisitou exame periciais que atestaram que a criança morreu em decorrência de traumatismo craniano causado por uma pancada na cabeça.

As diligências apontaram ainda que a criança bateu a cabeça na quina de uma móvel de mármore, quando estava no colo de uma das donas do local. A proprietária da creche admitiu a lesão na criança e a investigação apontou que o fato que levou ao óbito foi causado por descuido e inobservância de segurança à criança.

A gestora da creche também foi indiciada. O inquérito concluiu que ela foi omissa em garantir espaços com proteção para resguardar as crianças ali assistidas e também foi negligente no atendimento à criança.

Clique aqui  e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros