Domingo, 16 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,38
euro R$ 5,76
libra R$ 5,76

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,38
euro R$ 5,76
libra R$ 5,76

Polícia Terça-feira, 14 de Maio de 2024, 13:56 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Terça-feira, 14 de Maio de 2024, 13h:56 - A | A

EXONERADO

Vídeo mostra motorista de secretário se livrando de itens comprometedores para "tesoureiro do CV"; veja

Jeferson atuava como motorista do secretário de Obras de Cuiabá, Ralf Macedo. Com a prisão, ele será exonerado imediatamente pela Prefeitura da Capital, conforme nota emitida pelo Executivo

SABRINA VENTRESQUI/RAYNNA NICOLAS
Da Redação/Do Local

Jeferson da Silva Sancoviche, preso durante a segunda fase da Operação Apito Final, nesta terça-feira (14), foi flagrado por câmeras de monitoramento retirando anotações contábeis e dinheiro vivo do apartamento adquirido pelo servidor e que era utilizado pelo tesoureiro do Comando Vermelho em Mato Grosso, Paulo Witer Farias Paelo, o WT.  Oficialmente, ele atuava como motorista do secretário de obras de Cuiabá, Ralf Macedo. 

LEIA MAIS: Servidor da Limpurb é preso acusado de participação em esquema de lavagem de dinheiro do WT

“O Jeferson adquiriu o apartamento para o WT, foi utilizado como laranja, em favor do WT. Além disso, acessava o imóvel e no momento que o WT foi preso em Maceió, no 29 de março deste ano, retirou um saco de lixo com pertences que pudessem comprometer o WT, inclusive a tornozeleira eletrônica, anotações, contabilidade e até dinheiro vivo que era o modus operandi de WT”, explicou o delegado Rafael Scatolon em entrevista nesta terça-feira (14). 

Segundo o delegado, o apartamento estava apenas em nome de Jeferson, mas ele não morava no local. Além dele, uma outra mulher também estava autorizada a adentrar nas dependências do imóvel. Contudo, ela não é alvo da investigação. A autoridade policial explicou que o modus operandi de WT era adquirir veículos e apartamentos utilizando dinheiro em espécie para driblar a fiscalização.

“Verificamos que uma caminhonete adquirida recentemente pelo time de futebol ‘Amigos WT’  foi comprada com R$140 mil em espécie. Era a maneira que o WT agia. O dinheiro adquirido com o tráfico, juntam e fazem a aquisição de algum bem”, explicou.

Jeferson atuava como servidor público da Empresa Pública de Limpeza Urbana (Limpurb) de Cuiabá e tem um salário bruto mensal de R$ 3.643,12. Com a prisão, ele será exonerado imediatamente pela Prefeitura da Capital, conforme nota emitida pelo Executivo. 

Além do servidor, um outro comparsa de WT,  Paulo Vinicius Gabriel de Araújo, de 30 anos, também foi preso na segunda fase da Apito Final. Ele é acusado de circular com a tornozeleira eletrônica do tesoureiro do CV. O objetivo era burlar o sistema de monitoramento para que parecesse que "WT" seguia em Cuiabá. Porém, o acusado estava em viagem no litoral de Maceió (AL). 

LEIA MAIS: Laranjas usaram tornozeleira para burlar sistema enquanto WT "curtia" em Maceió, diz delegado

VEJA VÍDEO

Clique aqui  e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros