Sexta-Feira, 16 de Outubro de 2020, 09h:25

Tamanho do texto A - A+

Esposa da Sandro Louco é alvo de busca e apreensão em Cuiabá

Por: LUIS VINICIUS

Thaisa Souza de Almeida, esposa de Sandro da Silva Rabelo, conhecido como "Sandro Louco", foi alvo de operação da Polícia Civil, na manhã desta sexta-feira (16), no bairro Jardim das Palmeiras, em Cuiabá. A operação foi realizada pela Delegacia de Repreesão ao Entorpecente (DRE) e visou cumprir mandado de busca e apreensão.  

Reprodução

sandro louco - transferencia

 

Os agentes teriam encontrados maconha na residência da mulher e diante disso, ela foi encaminhada à delegacia para procedimentos. De acordo com o delegado Victor Hugo Bruzulato, ela deverá ser autuada no artigo 28 da Lei de Drogas.

Foram expedidos três mandados de busca e apreensão. Uma pessoa foi presa durante a operação. 

Os mandados foram expedidos pela 13ª Vara Criminal de Capital e cumpridos, nos bairros Osmar Cabral, Parque Cuiabá e Jardim das Palmeiras, tendo como alvo, integrantes da facção criminosa identificados como “disciplinas” do grupo.

Depois de cumpridas as ordens judiciais, os suspeitos foram encaminhados à DRE, onde foram interrogados sendo o homem autuado em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico. 

Condenações

 Sandro Louco foi condenado à pena unificada de 205 anos e nove meses de reclusão pela prática dos crimes de desacato, falsificação, roubo, homicídio, latrocínio, sequestro e cárcere privado e posse ou porte de arma de fogo. Sua progressão de regime pode acontecer apenas a partir de 20 de junho de 2047. Até lá, o criminoso segue no regime fechado.

O último crime de Sandro, que pertencia ao Primeiro Comando da Capital (PCC) antes de liderar o Comando Vermelho, foi um latrocínio em Goiás. Ele fugiu de Mato Grosso para lá após conseguir sair da cadeia pela porta da frente, durante uma rebelião na Penitenciária Central do Estado.

Apesar de negado pela própria facção, as investigações da Polícia Civil apontam que o Comando Vermelho de Mato Grosso (CV-MT) é uma filial "independente" da facção criminosa Comando Vermelho do Rio de Janeiro, que na década de 1990 foi uma das organizações mais poderosas do "mundo do crime".

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei - 2