Terça-feira, 25 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,39
euro R$ 5,79
libra R$ 5,79

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,39
euro R$ 5,79
libra R$ 5,79

Polícia Sexta-feira, 09 de Novembro de 2018, 17:20 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Sexta-feira, 09 de Novembro de 2018, 17h:20 - A | A

CAPTAÇÃO ILÍCITA DE CLIENTE

Defaz cumpre mandados contra 4 advogados em Água Boa

LUIS VINICIUS

Policiais da Delegacia Fazendária (Defaz) cumpriram na manhã desta sexta-feira (9), oito mandados de busca e apreensão nas casas e escritórios de quatro advogados da cidade de Água Boa (730 km de Cuiabá). De acordo com informações obtidas, os juristas estão sendo investigados pelo crime de captação ilícita de cliente. 

 

Alan Cosme/HiperNoticias

defaz/operação  sodoma

 Os mandados foram cumpridos pela Delegacia Fazendária (Defaz)

Os advogados foram identificados como Selso Lopes de Carvalho (ex-prefeito da cidade), Tiago Toma de Paula (ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, subseção de Água Boa), e Thiago Canan. Este último é casado com Clarissa Cubis de Lima Canan, promotora de Justiça na cidade. O nome do quarto alvo não foi divulgado pela Defaz. 

 

Os mandados foram expedidos pelo juiz da Comarca da cidade Alexandre Meinberg Ceroy. 

 

A reportagem entrou em contato com o delegado responsável pela ação policial, mas a decretação de sigilo nas investigações prejudicou a divulgação de mais informações da operação. 

 

Os trabalhos foram acompanhados por membros da OAB da cidade de Água Boa. 

 

HiperNotícias tentou entrar em contato com os advogados que foram da operação, mas até a publicação da matéria, nenhum dos juristas havia se posicionado sobre o caso. 

 

O crime de captação ilícita de cliente está previsto na Lei 8.906/94, no qual afirma que é proibido o oferecimento de serviços profissionais que implique, direta ou indiretamente, angariar ou captar clientela. Tanto a distribuição dos folhetos oferecendo serviços de consultoria jurídica quanto a realização de eventos constituem captação ilícita de clientela. Não foi inormado, porém, até o momento, qual o objeto dos mandados desta sexta-feira.

Clique aqui  e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Critico 10/11/2018

Tem que fiscalizar um escritório nas imediações do INSS Coxipó, um jovem morena escura fica em frente do escritório abordando pessoas oferecendo serviços ao escritório. É de conhecimento de todos advogados da área, causando concorrência desleal.

positivo
0
negativo
0

1 comentários

1 de 1

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros