Mundo Sexta-feira, 08 de Julho de 2011, 15:05 - A | A

Sexta-feira, 08 de Julho de 2011, 15h:05 - A | A

Obama culpa crise grega e teto da dívida por desemprego

O país gerou apenas 18 mil empregos em junho, a menor leitura desde setembro de 2010, informou o Departamento de Trabalho

DA FOLHA DE SÃO PAULO

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, reconheceu nesta sexta-feira que há um longo caminho a percorrer até a recuperação da economia do país, horas depois da divulgação do relatório de desemprego de junho, com uma taxa de 9,2%.

Ele culpou a crise da dívida na Grécia e o impasse sobre o novo teto da dívida pública americana pela redução no número de novas vagas, alegando que a instabilidade deixa as empresas hesitantes de contratar ou investir.

O país gerou apenas 18 mil empregos em junho, a menor leitura desde setembro de 2010, informou o Departamento de Trabalho nesta sexta-feira, bem abaixo da previsão do mercado de 90 mil vagas extras.

Obama reconheceu que a economia "simplesmente não está gerando empregos suficientes". "Ainda temos um longo caminho a percorrer e muito a fazer para garantir a segurança que o povo precisa", disse Obama, acrescentando: "ainda temos um grande buraco para preencher".

A economia americana precisa gerar entre 125 mil e 150 mil empregos por mês apenas para absorver pessoas que entram na força de trabalho. A massa de desempregados já chega a 14,1 milhões no país.

Obama disse que os problemas na Grécia e na Europa têm afetado a economia americana, deixando as empresas mais inseguras na hora de contratar e investir.

Obama deu grande destaque também ao debate do teto da dívida americana, outro fator que estaria afetando a confiança das empresas americanas.

O presidente disse que, assim que o Congresso chegar a um acordo sobre um novo teto da dívida pública americana, as empresas terão a confiança necessária para contratar mais funcionários.

Susan Walsh/Associated Press
Presidente Barack Obama discursa e culpa dívida grega e teto da dívida por alta no desemprego

O governo afirma que o atual teto da dívida de US$ 14,3 trilhões será ultrapassado em 2 de agosto e, a partir de então, segundo analistas, os EUA correm risco de entrar em uma nova crise e recessão. Um teto maior permitiria mais investimentos e subsídios federais para movimentar a economia e, consequentemente, estimular o mercado de trabalho.

O mau desempenho deveu-se justamente ao setor público, já que o governo cortou 39 mil vagas, em razão de problemas fiscais. O setor privado, por sua vez, contratou 57 mil pessoas em junho.

Subir o teto da dívida costuma ser uma formalidade aos republicanos, mas desta vez eles exigem cortes claros no Orçamento antes de aprovar a medida.

De maneira indireta, ele culpou também o Congresso por travar medidas importantes de alívio imediato do desemprego.

"Há algumas coisas que podemos fazer. Agora, há um milhão de trabalhadores sem empregos por causa da bolha imobiliária, podemos investir na construção de nossa infraestrutura e colocar operários que perderam emprego na bolha imobiliária", começou a listar Obama, dizendo que os projetos de contrução de estradas e pontes estão pendentes de votação no Legislativo.

Obama listou ainda medidas assinadas por ele para acelerar o processo de criação de novos negócios e de acordos bilaterais para incrementar a venda de bens americanos para Ásia --ambas com potencial para criar milhares de empregos.

"Isso pode ser feito agora", disse.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros