Mundo Quarta-feira, 16 de Novembro de 2011, 17:30 - A | A

Quarta-feira, 16 de Novembro de 2011, 17h:30 - A | A

IMPASSE

Irã prepara resposta a relatório da AIEA sobre programa nuclear

Autoridades de Teerã reiteraram que seus objetivos são exclusivamente civis, essencial para geração de energia e usos médicos

DA EFE

As autoridades iranianas vão responder ao recente relatório da AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica) no qual foi apontado que o Irã trabalhou para desenvolver armas nucleares sem que fossem apresentadas provas de que decidiu fabricá-las, informou nesta quarta-feira a emissora de televisão pública IRIB.

"Vamos escrever uma carta de análise com respostas argumentadas ao último relatório do secretário-geral da AIEA", disse o ministro das Relações Exteriores iraniano, Ali Akbar Salehi, que não detalhou quando será enviado o documento.

A carta será dirigida aos representantes dos países-membros na AIEA e às instituições internacionais envolvidas no caso.

"[O secretário-geral da AIEA] Yukiya Amano atuou de forma injusta e sem medir o que dizia", afirmou Salehi, que reiterou que o relatório foi feito sob "pressões de países ocidentais" e "solapou a credibilidade do organismo". Por essa razão, segundo o ministro iraniano, "ninguém acreditou nele".

De acordo com o ministro, o Irã está em contato com a AIEA "para que a situação não piore, já que trata-se de uma instituição internacional importante, que deve seguir cumprindo suas responsabilidades".

Efe

Em imagem de arquivo de 2008, Mahmoud Ahmadinejad passa em vistoria na usina nuclear de Natanz, no Irã

As atividades nucleares do Irã prosseguem, segundo Salehi, que repetiu que o "programa nuclear pacífico iraniano foi desenvolvido ao longo dos últimos dez anos sem parar".

Enquanto diversos países, com os Estados Unidos à frente, acreditam que o programa nuclear iraniano tem fins militares, as autoridades de Teerã reiteraram que seus objetivos são exclusivamente civis, essencial para geração de energia e usos médicos.

O Irã deixou claro que não pensa em abandonar seu programa nuclear e lembrou que o enriquecimento de urânio é autorizado pelo Tratado de Não-Proliferação Nuclear. "O Irã atuará com dignidade, sabedoria e de acordo com seus interesses", disse Salehi.

O relatório da AIEA sobre o Irã, publicado na terça-feira (8) da semana passada, criou mesmo antes de sua divulgação uma tempestade internacional na qual personalidades dos EUA, Israel e Reino Unido apontaram para a possibilidade de um ataque a instalações militares iranianas.

Alguns países da União Europeia propuseram que sejam aplicadas mais sanções para frear o programa nuclear iraniano, enquanto a Rússia e a China se opuseram às medidas.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros