Domingo, 16 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,38
euro R$ 5,76
libra R$ 5,76

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,38
euro R$ 5,76
libra R$ 5,76

Mundo Domingo, 19 de Maio de 2024, 11:15 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Domingo, 19 de Maio de 2024, 11h:15 - A | A

Colômbia anuncia prisão de líder financeiro do maior cartel de drogas do país

CONTEÚDO ESTADÃO
da Redação

A polícia colombiana anunciou no sábado, 18, ter capturado um dos líderes do Clã do Golfo, o principal cartel de drogas em atividade no país. Norveis Contreras Ramos, conhecido como "David", foi preso em Córdoba, e é apontado como líder financeiro da organização criminosa. O presidente Gustavo Petro confirmou a captura na rede social X, antigo Twitter.

Ramos seria homem de confiança de José Gonzalo Sánchez, conhecido como "Gonzalito", o segundo comandante da organização. William Salamanca, chefe da polícia colombiana, classificou a captura como "golpe certeiro para o Clã do Golfo".

O "líder financeiro" era responsável pelo tráfico de drogas, mineração ilegal e extorsão em pelo menos seis cidades de Antioquia, um departamento no noroeste da Colômbia, faturando cerca de 5 bilhões de pesos colombianos por mês (cerca de R$ 6,7 milhões), disse o chefe da polícia. Salamanca não deu detalhes sobre como Contreras Ramos foi encontrado.

Mais procurados

De acordo com a lista dos mais procurados na Colômbia divulgada pelo Ministério da Defesa, "Gonzalito" e Jobanis Ávila, conhecido como "Chiquito Malo", são os líderes do Clã do Golfo, também conhecido como Autodefesas Gaitanistas da Colômbia (ACU).

Eles assumiram a liderança após a detenção do líder máximo do grupo, Dairo Antonio Úsuga, conhecido como "Otoniel", capturado em 2021 e extraditado para os Estados Unidos em 2022.

Em março, o governo de Petro - que implementa um plano de "paz total", questionado por especialistas pelo risco de encorajar a impunidade - abriu a possibilidade de negociar com a organização criminosa. Petro alertou, porém, que, se as negociações não avançassem, as forças de segurança continuariam a combater o grupo até que "o Clã seja destruído".

O Clã do Golfo está presente em pelo menos 390 municípios colombianos e envolvido no tráfico de drogas, mineração ilegal, tráfico de armas e contrabando de migrantes.

(Com Agência Estado)

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros