Segunda-feira, 22 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,60
euro R$ 6,10
libra R$ 6,10

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,60
euro R$ 6,10
libra R$ 6,10

Justiça Sábado, 10 de Setembro de 2022, 14:00 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Sábado, 10 de Setembro de 2022, 14h:00 - A | A

APÓS CONFUSÃO

Justiça homologa acordo de secretário que autorizou maquinário público em terreno de particular

Área pertencia a um servidor público municipal. Denúncia impediu uso de maquinário

RAFAEL COSTA
Da Redação

O juiz da Vara Especializada em Ações Coletivas, Bruno D' Oliveira Marques, homologou um acordo de não persecução cível firmado pelo Ministério Público Estadual (MPE) com o secretário municipal de Obras, Serviços e Transportes Urbanos de Acorizal, Emerson Figueiredo, e o servidor público Hernandes Gonçalves de Lima, no qual ambos confirmaram a utilização de maquinários da prefeitura em propriedade particular. Pelo acordo, será pago R$ 1 mil.

Para evitar uma denúncia por improbidade administrativa, cada um pagará R$ 1 mil, valor correspondente a três horas de uso das máquinas.

Conforme manifestado nos autos, o secretário Emerson Figueiredo autorizou o uso do maquinário em um terreno de propriedade do servidor público Hernandes Gonçalves de Lima.

Porém, o maquinário não foi efetivamente utilizado por conta de uma denúncia encaminhada à prefeitura, sendo comprovado apenas o deslocamento até a propriedade particular.

Segundo consta nos autos, “os fatos restaram incontroversos, no entanto os trabalhos que seriam realizados na propriedade rural particular com uso de maquinário da Prefeitura não chegaram a ser executados, em face da denúncia efetuada, que levou os equipamentos a serem recolhidos do local, conforme manifestação nos autos do Sr. Prefeito do Município de Acorizal”.

"O acordo promove a responsabilização de agente que, em tese, cometeu ato ímprobo, com aplicação imediata de sanção proporcional e suficiente para a repressão e prevenção, assegurando, ao mesmo tempo, o ressarcimento ao erário antes mesmo de alcançada a condenação do referido agente e efetivada a apuração exata do dano ao erário", diz um dos trechos da decisão.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros