Domingo, 16 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,38
euro R$ 5,76
libra R$ 5,76

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,38
euro R$ 5,76
libra R$ 5,76

Justiça Quinta-feira, 29 de Novembro de 2018, 14:11 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Quinta-feira, 29 de Novembro de 2018, 14h:11 - A | A

OPERAÇÃO MERCENÁRIOS

Justiça adia julgamento de policiais envolvidos em grupo de extermínio para abril

KHAYO RIBEIRO

A Justiça retardou o julgamento de policiais militares, acusados de envolvimento em grupo de extermínio, para dois de abril de 2019. Na ocasião, os réus José Edmilson Pires dos Santos, Helbert de França Silva e Jonathan Teodoro de Carvalho serão submetidos a julgamento na Décima Segunda Vara Criminal de Cuiabá. Inicialmente, o julgamento estava marcado para a última quarta-feira (28). 

 

Reprodução

operação mercenários

 Policiais foram presos em 2016

O adiamento da audiência, segundo o juízo, se dá por conta da complexidade do caso. O magistrado Flávio Miraglia Fernandes decidiu pelo atraso de mais de quatro meses dada a extensão do processo: com vários réus; diversas vítimas e inúmeros depoimentos colhidos.

 

“Estamos a poucos dias do recesso forense e das 'férias da advocacia', período em que, de acordo com o Provimento nº 16/2018-CM, é vedado a designação de sessões de julgamento pelo Tribunal do Júri. Ademais, este magistrado está com férias previstas para o mês de janeiro de 2019”, narra trecho do documento.

 

Entenda o caso 

Os militares foram indiciados na Operação Mercenários, deflagrada em abril de 2016, por suposto envolvimento em uma sequência de assassinatos encomendados na cidade de Várzea Grande. Os policiais aguardam julgamento desde maio de 2016, quando o Ministério Público (MPE) ofereceu denúncia contra os réus.

 

À época, o juiz Otaviano Peixoto, da Primeira Vara Criminal de Várzea Grande, havia decretada a prisão preventiva dos réus e mais catorze membros de uma quadrilha que se autodeclarava “Grupo de Extermínio”.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros