Justiça Quarta-feira, 23 de Setembro de 2020, 10:39 - A | A

Quarta-feira, 23 de Setembro de 2020, 10h:39 - A | A

CASO ALPHAVILLE

Adolescente de 15 anos que matou Isabele é ouvida por videoconferência

LUIS VINICIUS

A juíza Cristiane Padim da Silva, da 2ª Vara da Infância e da Juventude de Cuiabá, ouve na manhã desta quarta-feira (23), a adolescente de 15 anos que matou Isabele Guimarães Ramos, 14 anos, com um tiro na cabeça, no condomínio de luxo Alphaville I, em Cuiabá. A audiência, segundo informações obtidas pelo HiperNotícias, está sendo realizada por videoconferência devido à pandemia do coronavírus.

adolescente empunhando arma.jpg

 

LEIA MAIS: Adolescente que matou Isabele será ouvida em audiência virtual nesta 4ª feira

O namorado de 16 anos da investigada, que não terá o nome divulgado, também presta esclarecimentos à magistrada. O menor, segundo a Polícia Civil, foi o responsável por levar a pistola calibre 380, utilizada no crime, à casa da família Cestari. Conforme o delegado Wagner Bassi, da Delegacia Especializada do Adolescente (DEA), ele teria carregado a arma.

LEIA MAIS: Adolescente que matou Isabele é internada no Complexo Pomeri

Segundo foi apurado, a audiência iniciou às 09h30. Por envolver adolescentes, o processo corre em sigilo de Justiça e não pôde ser acompanhado pela imprensa. O Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) não informou se os adultos, envolvidos no processo, serão ouvidos.

A juíza Cristiane Padim foi a responsável por aceitar a representação criminal do Ministério Público de Mato Grosso (MPMT) que pediu a internação da adolescente por ato infracional análogo a homicídio doloso, quando tem a intenção de matar, no dia 15 de setembro.

Após a determinação da juíza, a menor se apresentou à DEA, na noite de terça-feira (15), e foi levada ao Centro de Ressocialização Menina Moça. Porém, na manhã do dia seguinte (16), o desembargador Rui Ramos concedeu habeas corpus à jovem e a investigada deixou a unidade pela porta lateral.

Participação do adolescente de 16 anos

O namorado da investigada, segundo a Polícia Civil, foi o responsável por levar a pistola 380, utilizada por matar Isabele, à casa da família Cestari, localizada no condomínio de luxo Alphaville, na Capital. De acordo com o inquérito policial (IP), ao deixar a residência, o jovem carregou a arma e deixou o imóvel.

Na sequência, a investigada subiu as escadas, foi ao quarto, tirou a pistola do case (maleta utilizada para acondicionar armas) e matou Isabele com um tiro no rosto. A vítima não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no local. As duas (vítimas e atiradora) estava no banheiro da casa, segundo a Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec). A versão é contestada pela defesa da adolescente.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros