Especial Sábado, 13 de Junho de 2015, 17:15 - A | A

Sábado, 13 de Junho de 2015, 17h:15 - A | A

CINCO ANOS DE CONSTRUÇÃO

Arena Pantanal já está R$ 100 milhões mais cara e ainda não foi concluída

Há exatamente um ano, Chile e Austrália jogavam a primeira partida da Copa do Mundo em um estádio incompleto

RODIVALDO RIBEIRO

A construção da Arena Pantanal é uma saga que já dura cinco anos, custa, até agora, R$ 453,216 milhões (número oficial, repassado pelo governo) e ainda não terminou. Causou controvérsia desde o início, quando anunciada a ideia de destruir o antigo Estádio Governador José Fragelli, o famoso Verdão, dada sua engenharia velha, imponente sim, mas claramente obsoleta, de desenho pouco funcional. Os mais velhos choraram.

 

Talvez estivessem antevendo que o tal contrato 09/2010, de construção do Complexo Arena Pantanal, sob responsabilidade da construtora Mendes Junior Trading e Engenharia S.A., cujo valor inicial era R$ 342.060.007,96, iria aumentar mais de R$ 100 milhões (ou pelo menos dois bons hospitais recheados de equipamento).

 

Marcos Lopes/HiperNotícias

Gustavo Oliveira/Arena Pantanal/abandonada/teto caindo

No começo do ano, Gustavo Oliveira, do gabinete de Projetos Estratégicos, viu que a Arena já está caindo aos pedaços

Mas o novo sempre há de vir. Derrubado aquele passado feio, iríamos entrar na era da inescapável contemporaneidade, afinal de contas, nosso estádio seria a casa, ao menos por um mês, de gente do mundo inteiro. E nossa casa é nosso cartão de visita. Além disso, era lá que a Fifa iria proporcionar a todos sua “experience”.

 

E daí que o prazo de execução, previsto para 960 dias, estava atrasado e agora tem “vigência de 1.140 dias”? Com uma ordem de serviço datada do dia 20/04/2010?

 

Oras, num evento da Fifa, todos temos de entrar numa espécie de transe que nos faz esquecer a falta de hospitais, ruas decentes, iluminação pública, falta de água, inexistência de coleta que dirá tratamento de esgoto. E esquecer também todas as falcatruas bilionárias em torno da entidade. Há exatamente um ano, todos festejavam a invasão chilena em Cuiabá para o primeiro jogo da Copa, no dia 13 de junho.

 

Depois que tudo acabasse, nossos times -- que já estariam na primeira divisão, como o Mixto de Eder Moraes e sua Afam -- fariam bom uso do complexo. Esse papo de elefante branco é coisa de gente do Sudeste e do Sul, aqueles preconceituosos. Um futuro glorioso prenunciava. Além disso, é um lugar bonito -- mesmo que inconcluso, cheio de lixo, com um monte de partes que não ficaram prontas, mas já estão quebradas --, bom pra fazer caminhadas e levar as crianças (tudo bem que sejamos obrigados a mantê-las o tempo todo grudados na gente, pois o risco de atropelamento e violência é constante, mas isso tiramos de letra. Somos brasileiros, lembra?).

Marcos Lopes/HiperNotícias

trabalhadores/obras/trabalho/construção civil/Arena Pantanal

E daí que o custo mensal do que os preconceituosos de São Paulo agora chamam de “pepino milionário”, a Arena Pantanal, seja de “aproximadamente R$ 800 mil”? O importante é ter saúde, ops, quer dizer, é caminhar.

 

OUTRO LADO

O governo explica que “a Arena Pantanal já conta com termo de recebimento provisório, que foi dado pelo governo do Estado em 2014 para realização da Copa do Mundo, com custo final de R$ 453.215.994,77”.

 

Sobre como fazer para manter a estrutura funcionando e as maneiras de fazê-lo gerar renda, “em relação ao gerenciamento do Complexo Arena Pantanal, a Secretaria de Estado das Cidades (Secid-MT) está estudando opções para que o local seja gerenciado e utilizado de forma múltipla”.

VÍDEO

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros