Quarta-Feira, 21 de Novembro de 2012, 09h:00

Tamanho do texto A - A+

Clínica Doutor Marco Aurélio: A arte de curar corpo, mente e espírito para além do comprimido

Médico deixou carreira militar para se dedicar ao tratamento da saúde das pessoas com base na filosofia do desenvolvimento humano, e é pioneiro em Mato Grosso no tratamento ortomolecular

Por: KARINE MIRANDA

Tão eficaz quanto a própria medicina clássica, a homeopatia pode ser considerada hoje a arte de curar. Sendo confundida pela maioria das pessoas, com a área da medicina que utiliza de plantas medicinais no tratamento de doenças, a homeopatia está além da simples cura da doença.

Baseada em terapias e na busca pelo estado de equilíbrio geral, físico, emocional e psíquico do paciente, este segmento da medicina está ganhando vários adeptos e o doutor Marco Aurélio Silva Ribeiro sabe bem disso.

Médico homeopata, o doutor tem experiência e conhecimento sobre o segmento há, pelo menos 42 anos, mas seu interesse pela área veio bem antes.

Nascido em Barra do Garças, Marco Aurélio chega a capital com seus 10 anos, local onde permaneceu até cursar todo o ensino necessário para chegar a faculdade. Como o nível superior era tradicionalmente cursado em grandes capitais como Rio de Janeiro e São Paulo, o então jovem estudante resolve se mudar de Cuiabá e buscar novos rumos: o Rio de Janeiro.

Marco Aurélio lembra que não foi somente a cidade nova a mudança pelo qual passou, mas também o ramo de estudo. Ao chegar ao Rio de Janeiro, logo partiu para o aprendizado da engenharia. No entanto, o interesse pela área não prosperou como se esperava.

“Nem sei exatamente como surgiu a ideia de fazer medicina, porque no começo eu fiz um ano de engenharia. Na verdade, eu tive um sonho do que eu não tinha que ser e de que eu precisava fazer medicina. Esse foi interessante, me deixou na inquietação, mas me realizou muito”, conta.

Hugo Dias/HiperNotícias


O DESCOBRIR DA MEDICINA

E seguindo o sonho, o então engenheiro abandona o curso para se dedicar a medicina e foi nesse mergulho nos estudos que Marco Aurélio é apresentado a homeopatia, em meados de 1980.

“Me interessei porque é uma maneira diferente de ver o ser humano e eu não queria fazer algo que fosse apenas tratar uma parte do indivíduo, uma conseqüência das coisas, um efeito das coisas. Eu queria juntar tudo, pensamentos, formas de sentir e sua forma de agir com relação as suas doenças”, afirma.

Curioso e cada vez mais interessado, Marco Aurélio se envolve mais com os estudos até que encontra uma área conhecida como antroposofia (conhecimento do ser humano), já nos dois últimos anos de faculdade, e resolve se dedicar a essa linha de trabalho que compreendia entender que havia alguma coisa que completava, que entendia o ser humano em um processo mais amplo.

De acordo com Marco, nesse momento, o contexto do ensino da medicina começa a falar de medicina psicossomática. Um segmento que juntava conhecimento estritamente positivista com psiquismo.

“Onde havia apenas a anatomia e a doença, agora juntava com o psiquismo. Nascia no Brasil e no mundo essa idéia de corpo e mente, porque até então, tratavam as coisas como se fossem duas partes. Uma medicina de integrar sempre fazendo frente à medicina tecnológica que pode afastar o médico dessa intimidade com o paciente”, lembra.

Hugo Dias/HiperNotícias


Deslumbrado com a homeopatia, Marco Aurélio deixa de ser acadêmico e passa a doutor e, com um ano formado e experiência adquirida na capital carioca, o médico retorna para Cuiabá, em 1984.

Ao chegar à Cidade Verde, ele se assume o cargo de médico do Nono Batalhão de Engenharia e Construção Cuiabá (BEC). Lá permaneceu apenas um ano, mas sem ter a oportunidade de praticar somente a homeopatia, resolveu abrir mão do emprego e arriscou dando início a seu próprio consultório.

“Eu não quis seguir a carreira militar. Não era aquela vida que eu queria pra mim. O 9º BEC me deu muita experiência. Me lembro que passava uns dias aqui e outros no mato. Foi muito bom em aprendizado, conheci muita gente. Me lembro também que no meu ambulatório ficava uma fila imensa porque eu comecei a praticar a homeopatia enquanto não ficava ninguém no outro ambulatório. A partir daí, dei início oficialmente a prática da homeopatia”, assegura.

A PRÁTICA DA HOMEOPATIA

Decidido a ser médico homeopata, Marco Aurélio abre sua primeira clínica na própria Vila Militar, na Rua São Joaquim, no Porto, ainda em 1984.

“Abri na minha própria casa, em uma sala. E isso podia, porque não fazíamos procedimento. Tinha dois sofazinhos, uma rede, uma secretaria, um telefone, não tinha quase ninguém, era tudo bem artesanal. Os primeiros pacientes foram os próprios militares do exército, os amigos, os amigos dos amigos”, lembra.

Mas a clínica tinha um grande diferencial, ela dividia o espaço com crianças excepcionais que a sua esposa educava, em uma espécie de escola. “Esse foi um processo difícil. Tivemos que crescer aos poucos, como todos. Aproveitava o espaço para ajudar também as crianças e me ajudar por meio delas na compreensão e análise do comportamento delas”, afirma.

Hugo Dias/HiperNotícias


Extremamente apegado à homeopatia desde aquela época, Marco Aurélio fazia questão de deixar tudo mais natural e menos clássico possível. “Mesas e cadeiras, por exemplo, eu não tinha. Adotei isso há pouco tempo. Não tinha mesa dividindo, eu ficava em contato direto com o paciente”, garante.


A vontade de praticar a homeopatia era tanta que no primeiro ano com a clínica aberta, o médico resolveu investir, mesmo que aos poucos, e abriu novamente um consultório, mas agora localizado na Rua Voluntários da Pátria, em um espaço alugado.

“Lá era uma pequena casa, com o espaço para o consultório e a área de trabalho com os adolescentes excepcionais no fundo. Beatriz, minha ex-esposa, é terapeuta ocupacional, e lá tínhamos oficina de arte e apoiávamos as crianças especiais enquanto eu praticava a homeopatia”, garante.

No entanto, a abrir a clínica não significa sucesso e pacientes a perder de vista. Ainda pouco conhecida dos cuiabanos, a prática da medicina fez Marco Aurélio passar por muitas dificuldades até se consolidar no mercado hoje.

De economia em economia foi tentando manter a clínica e sua situação financeira, mas não foi muito fácil. “Era comum eu ouvir, fecha essa clínica, larga mão disso, não mexe com esse negócio, mas não desisti. Hoje sou sobrevivente, porque, de fato, eu sobrevivi”, afirma.

Com a situação nada fácil, Marco ainda passa pelo fim do seu casamento. “De tudo que aconteceu sempre pensei que tudo podia dar certo. Como? Eu não sei, mas uma hora vai”, ressalta.

Hugo Dias/HiperNotícias


Triste pela dificuldade familiar e profissional, Marco Aurélio começou a descanbar por novos caminhos: realizar partos - e o mais surpreendente - em casa. Suas três filhas nasceram por suas próprias mãos, em partos realizados de cócoras.


Assim, a clínica inicialmente de homeopatia passou a contar com uma espécie de especialização em partos, já que experiência na área Marco Aurélio já tinha. “Tive experiência em na maternidade do hospital em Nilópolis. no Rio de Janeiro. Os partos lá são em número maior do que todos os que realizem na faculdade. Em Cuiabá foram 30 partos realizados”, afirma.

No entanto, o médico decidiu deixar de lado a prática e assumiu unicamente a homeopatia, há 23 anos. Reestruturado e decidido que homeopatia era seu dom, Marco Aurélio permaneceu por mais alguns anos com a clínica aberta.

Mas logo se viu obrigado a fechar o espaço. Se aprimorar e estudar cada vez mais era uma ânsia de Marco Aurélio. Por isso, ele partiu para São Paulo, onde permaneceu um ano.

Após este período, ele retornou para Cuiabá e reabriu em mais três locais diferentes até abrir definitivamente o espaço “Clínica Doutor Marco Aurélio” no bairro Boa Esperança. “Foram muitas as mudanças, mas em cada lugar tínhamos alguns problemas. Às vezes, a logística impedia o acesso à clínica, às vezes, não era economicamente viável mantê-la”, garante.

A CLÍNICA HOJE

A Clínica Doutor Marco Aurélio foi inaugurada em junho de 2010 e conta com 12 funcionários nas áreas de massagem, ortomolecular, homeopatia, emagrecimento e mantendo-se sempre com o foco em naturalidade, sem exceções de remédios.

“Aqui nos usamos medicamentos para tratar das pessoas, mas tentamos descobrir cronicamente qual o mal que ela sofre. Essa busca envolve alimentação, massagem e ortomolecular”, ressalta.

Hugo Dias/HiperNotícias


Marco Aurélio explica que o segmento ortomolecular serve para equilibrar a pessoa e restaurar a saúde por meios naturais. “Repomos os sais minerais, vitaminas, proteínas, aminoácidos, usamos fitoterápicos, mantras e banhos. Aqui usamos o maior número de recursos naturais possíveis”, explica.


Durante todos os anos de profissão de Marco Aurélio, já foram mais de 18 mil pacientes atendidos pelo profissional e pelo método da homeopatia. “Atendemos todos os tipos de pacientes, mas hoje o carro chefe é a medicina preventiva em relação ao envelhecimento. Aqui nos procuramos entender a parte psicológica e clínica de um paciente. Temos soluções para além de um comprimido”, garante.

O FUTURO

Apesar das dificuldades para consolidar a clínica que hoje passar por momentos melhores, especialmente diante dos impostos, juros e problemas oriundos do empreendedorismo, o médico pretende ampliar sua atuação abrindo outro negócio, mas agora, no ramo de alimentos.

A intenção, segundo Marco Aurélio é integrar ambos as empresas e oferecer melhor qualidade para o paciente que procura a homeopatia.

“Já tenho um embrião do projeto para produzir produtos correlacionados com a saúde e longevidade. Além disso, a parte de produção de alimentos naturais, como barrinha de cereal. A ideia é um bem pequeno parque industrial com alta qualidade, não vai ser qualquer porcaria, não. Fomos e somos a clínica pioneira em Cuiabá e assim nos manteremos como referência em tratamento do corpo, mente e espírito ”, assegura.

Hugo Dias/HiperNotícias

Para Marco Aurélio Silva Ribeiro empreender é: Persistência!

1. Dica para quem quer iniciar um empreendimento

A primeira e maior dica é a dedicação amorosa ao seu sonho e vejo que talvez é isso que não se tenha hoje em dia. As pessoas sonham situações sem muito amor. Tenho prazer em ver meu trabalho servindo as pessoas. Creio que isto é que está faltando em todos os profissionais para começar e permanecer em qualquer que seja o empreendimento.

2. O Custo Brasil é realmente um obstáculo para o empreendedor?

Nós temos um problema que nossa maquina governamental esta sugando as pessoas. Há uma bolha de crescimento e como empresário temos sofrido muito porque nosso custo de imposto é muito alto, porque o retorno é baixo. Hoje o imposto consome cinco meses do nosso trabalho. Trabalhamos para pagar imposto, parece à idade media. Então, acho que o empresário precisa mesmo ser criativo para consegui se manter.

3. O que é mais importante: dinheiro ou criatividade?

Criatividade. Eu mesmo não tinha dinheiro para começar nada, mas com persistência e paciência consegui me consolidar hoje no mercado. É isso que se precisa. Os empresários precisam de mais criatividade que dinheiro para sobreviver no mercado.

4. O que é mais fácil: Fidelizar um cliente ou conquistar um novo?

É mais difícil fidelizar um cliente, especialmente se tratando de pacientes, porque eles precisam, especialmente na área da homeopatia, se engajar na saúde e na necessidade do tratamento para poder voltar. Os resultados não são imediatos como a medicina clássica. Mas posso dizer hoje, que os clientes nos procuram pelo tratamento ortomolecular e emagrecimento, principalmente. São áreas que atraem muitos clientes.

5. Qual o diferencial da empresa?

Eu diria que o principal diferencial sou eu. Temos varias clínicas que realizam estas atividades voltadas para a homeopatia. Mas com essa nossa visão que engloba tudo, nos somos a única. Isso nos diferencia. Essa visão sintética é que mais atrai os pacientes. Depois que ele se fideliza, é que procuramos organizar junto com o paciente a resolução dos problemas e doenças para trazer bem estar. É isso que a gente vende. Afinal, todo mundo quer estar bem estar. Todo mundo já tym tudo e agora se pode comprar o bem estar.

Hugo Dias/HiperNotícias


Credito: Hugo Dias/HiperNotícias
Avalie esta matéria: Gostei +28 | Não gostei

Leia mais sobre este assunto




5 Comentários

marina - 16/04/2015

bom dia gostei da materia, sou estudante de massoterapia, gostaria de saber se vcs nao estao precisando de estagiaria, me formo em novembro, obrigada

claudete - 16/08/2013

qual o telefone por favor

Fatima Ferreira - 06/08/2013

gostaria do numero do seu telefone Quero mrcar uma consulta Att. Fátima

José Bonifácio - 26/11/2012

Concordo com esta modalidade de tratamento médico, pois existem inúmeras pessoas que têm disfunções orgânicas provocadas pela psiquê e que na verdade não é portadora de doença física nenhuma. Logo, são passíveis inclusive de serem "curadas" por pastores, benzedores, xamãs, pais de santos, etc. Agora, se o caso é doença física (câncer, tuberculose, hepatite, etc.) ou fratura, daí só médico cirurgião mesmo.

Dilson Ferreira Coelho - 22/11/2012

Gostaria de saber mais o menos,qual e a localizaçao,perto da universidade Federal,o Dr.Marco Aurelio esta de Parabens...,Abraços

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA