Economia Quarta-feira, 06 de Julho de 2011, 17:12 - A | A

Quarta-feira, 06 de Julho de 2011, 17h:12 - A | A

CRESCIMENTO

Produção de veículos cresce 4% no 1º semestre e é recorde, diz Anfavea

Foram fabricadas 1,7 milhão de unidades contra 1,6 milhão em 2010. Todos os segmentos registraram alta entre janeiro e junho

Do G1

A produção de veículos no primeiro semestre deste ano subiu 4,1% sobre o mesmo período de 2010 e bateu novo recorde, segundo dados divulgados pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) nesta quarta-feira (6), em São Paulo.

Foram produzidos 1.710.400 automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus nos seis primeiros meses deste ano contra 1.643.212 entre janeiro e junho de 2010.

No mês passado, no entanto, a produção de veículos caiu 2,8% em relação a maio. No último mês foram produzidos 295.605 veículos, contra 304.214 no anterior. Na comparação com junho do ano passado (283.967 unidades), houve expansão de 4,1%.

Apesar do primeiro semestre mais forte da história, a Anfavea manteve a projeção de 5% de crescimento para o ano. "Tivemos um segundo semestre em 2010 muito forte e a tendência é que este ano os últimos seis meses sejam estáveis", disse Cledorvino Belini, presidente da associação. Na segunda-feira (4), a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) reformulou suas previsões de vendas para este ano, elevando-a de 5,2% para 8,38%.

CKD

Diferente do que ocorria no ano passado, os números da Anfavea não consideram os conjuntos de veículos desmontados destinados à exportação (CKD) no total de produção e de exportações. Desta forma, os veículos produzidos em sistema CKD somaram em junho 2.516 unidades contra 637 em maio. No acumulado são 10.192 unidades.

SEGMENTOS

No segmento de automóveis e comerciais leves, a indústria brasileira produziu 272.630 veículos em junho, uma baixa de 3% em relação a maio, quando 280.919 unidades foram feitas. Em relação a junho de 2010, quando foram fabricados 263.998, houve alta de 3,3%. No acumulado do ano, o setor soma 1.588.867 unidades, volume 3,6% maior que o registrado entre janeiro e junho de 2010 (1.533.337).

A produção de caminhões também caiu em junho, com 18.870 unidades, número 1% inferior ao apresentado no mês anterior (19.069). Porém, houve alta de 17,2% na comparação com junho de 2010, quando foram fabricadas 16.107 unidades.

Nos seis primeiros meses do ano foram fabricados 99.467 caminhões, uma alta de 12,2% sobre o primeiro semestre de 2010, cujo número foi de 88.656.

Entre os ônibus, 4.105 unidades foram feitas no mês passado, uma queda de 2,9% em comparação ao mês anterior, quando 4.226 unidades deixaram as linhas de montagem. Sobre junho de 2010 (3.852 unidades), houve aumento de 6,3%. No acumulado do ano, o crescimento foi de 4%. Foram produzidos 22.066 ônibus em 2011, frente a 21.219 de janeiro a junho de 2010.

EXPORTAÇÕES

Em junho foram exportados 36.555 veículos, recuo de 18.1% quando levados em conta os números de maio, quando saíram do país 44.658 unidades. Esses números excluem veículos desmontados (CKD).

Sobre junho de 2010 (41.040), houve queda de 10,9% nas exportações. No acumulado do ano, foi registrada alta de 3%, com 249.940 veículos comercializados a outros países no primeiro semestre de 2011, contra 242.611 no mesmo período do ano passado.

Incluindo máquinas agrícolas, os valores de exportação somaram US$ 1,24 bilhão no mês passado, uma retração de 9,1% em relação a maio, quando foi negociado US$ 1,36 bilhão. No acumulado do semestre, o volume total é de US$ 7,2 bilhão. Ao comparar com os US$ 5,7 bilhão exportados no mesmo período de 2010, o resultado representa expansão de 24,9%.

IMPORTAÇÕES

As importações apresentaram queda de 7,3%. Em junho foram trazidos para o Brasil 69.307 unidades e, em maio, 74.748. Considerando-se apenas o segmento de carros e comerciais leves, junho teve 69.016 unidades importadas contra 74.479 em maio, queda de 7,3%.

BICOMBUSTÍVEIS

A porcentagem de veículos flex na frota brasileira subiu de 82,7%, em maio, para 82,9%. Em junho de 2010, a participação dos carros bicombustíveis nas vendas de carros era de 86,2%.

EMPREGO

O índice de emprego na indústria automobilística encerrou junho com 142.727 empregos diretos. Em relação a maio, o aumento de colaboradores contratados foi de 0,4%. Ao considerar junho do ano passado, a elevação do número de empregos atinge 9%.




Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

 

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros