Copa Pantanal Quinta-feira, 24 de Novembro de 2011, 18:13 - A | A

Quinta-feira, 24 de Novembro de 2011, 18h:13 - A | A

NOVO ESCÂNDALO

Procuradoria da República em MT também entra na investigação; Governo de MT reitera opção por VLT

Procurador Thiago Lemos de Andrade é designado para apurar se fraude feita pelo Ministério das Cidades afeta obra do VLT; Silval Barbosa defende, por meio de nota, o sistema de Veículo Leve sobre Trilhos

JORGE ESTEVÃO

Mayke Toscano/Hipernotícias

O procurador da República em Mato Grosso Thiago Lemos de Andrade é quem vai conduzir investigações sobre denúncia do jornal “Estado de S. Paulo”, que aponta a existência de fraude por parte do Ministério das Cidades  na aprovação da mudança do modal de transportes de Cuiabá e Várzea Grande de BRT para VLT.

Investigações nesse mesmo sentido também serão realizadas pela Procuradoria da República no Distrito Federal.

A matéria do “Estadão”, publicada na edição desta quinta-feira (24), mostra ainda que documento contrário a aprovação feito por um analista teria sido forjado com autorização do ministro da pasta, Mário Negromonte.

A assessoria de imprensa da Procuradoria informou que a denúncia é um fato novo e, portanto, merece mais atenção do procurador Thiago Lemos. Com isso, serão abertas duas frentes de investigações. Uma acontece no Distrito Federal para apurar a fraude cometida por servidores do Ministério das Cidades e outra em Mato Grosso para verificar circunstâncias que levaram à escolha do modal de transporte VLT.

A Procuradoria da República em Mato Grosso, segundo informa a assessoria de imprensa, já havia instaurado um procedimento administrativo para acompanhar o andamento de estudos técnicos para escolha do modal de transporte para região metropolitana de Cuiabá.

Conforme a assessoria, esse acompanhamento é normal e sempre ocorre quando algum processo de licitação é feito para qualquer atividade relacionada com a Copa do Mundo em Cuiabá. Foi assim quando houve procedimento para escolha da empreiteira para construir a Arena Pantanal.

Com a repercussão a respeito da suposta fraude divulgada pelo jornal “Estadão”, o procurador Thiago Lemos de Andrade vai querer saber as implicações da denúncia na execução dos projetos de mobilidade urbana em Cuiabá e Várzea Grande.

GOVERNO DE MATO GROSSO REITERA A OPÇÃO PELO VLT EM CUIABÁ

Já o governo do Estado se manifestou no final da tarde desta quinta, reiterando a opção pelo VLT, e apontando que não se pode comparar os custos dos dois sistemas, porque, diz a nota, eles são bastante diferentes.

Confira abaixo a íntegra da nota oficial emitida e assinada pela Secretaria de Comunicação:

"Em virtude de matéria publicada no jornal O Estado de São Paulo, edição de 24/11/2011, abordando a questão de parecer emitido no âmbito do Ministério das Cidades, sobre a mudança do sistema de transporte urbano BRT para VLT em Cuiabá e Várzea Grande, o Governo de Mato Grosso reitera:

1. O Governo de Mato Grosso defende pública e oficialmente a mudança no modal de transporte da capital por entender que um investimento desta natureza deve representar uma melhoria efetiva do transporte aos cerca de 900 mil habitantes das duas cidades;

2. O Governo participou, inclusive, de audiências públicas realizadas pela Assembleia Legislativa com toda a sociedade para discutir o tema. Todas as reuniões e defesas realizadas sobre o assunto foram amplamente divulgadas pela imprensa regional;

3. Com relação aos valores dos projetos, o Governo esclarece que obteve autorização do Poder Legislativo para contrair dois empréstimos, totalizando R$ 1,2 bilhão para investimentos que compreendem o financiamento do VLT e um sistema ferroviário completo. Os valores de cada um destes itens, no entanto, só serão conhecidos após o devido processo licitatório. Portanto, é incorreto comparar uma via exclusiva para ônibus, que é o caso do BRT, com um sistema completo ferroviário, cuja durabilidade dos equipamentos de transporte é de 30 anos, o que reduz imensamente os investimentos de substituição, sem contar que o custo das desapropriações urbanas será muito menor nesse modal;]

4. Quanto à posição do Ministério das Cidades em acatar um pleitoformal de Mato Grosso, o Governo do Estado entende que compete ao próprio Ministério fazer os devidos esclarecimentos, conforme nota oficial já emitida nesta data;

5. O Governo de Mato Grosso reafirma a sua decisão de implantar o VLT por entender que é o sistema de transporte mais eficaz para a região metropolitana de Cuiabá."

Cuiabá, 24 de novembro de 2011

Secretaria de Comunicação Social do Governo de Mato Grosso

ATUALIZADA ÀS 19H11

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros