Copa Pantanal Segunda-feira, 25 de Abril de 2011, 15:47 - A | A

Segunda-feira, 25 de Abril de 2011, 15h:47 - A | A

DIA D

Eder assume Agecopa prometendo desentravar obras em Cuiabá

Ex-chefe da Casa Civil afirma que não fará aditamentos em contratos formalizados

LUIZ ACOSTA

Josi Pettengill/Secom/MT
Governador Silval Barbosa (esquerda) dá posse a Eder Moraes no comando da Agecopa
O diretor-presidente da Agência Estadual Executora dos Projetos da Copa 2014 (Agecopa), ex-secretário da Casa Civil do Governo, Eder Moraes, disse na manhã desta segunda-feira, logo após ser empossado pelo governador Silval Barbosa (PMDB) que sua primeira proposta é se inteirar de todos os projetos que a Agência terá que realizar em Cuiabá para a realização da Copa do Mundo de 2014 e, em seguida, eliminar todos os possíveis entraves para a execução das obras.

Moraes substitui o diretor de Planejamento, Yênes Jesus de Magalhães, que vinha acumulando o cargo desde outubro de 2010, quando o diretor-presidente Adilton Sachetti pediu demissão do cargo.

Moraes disse que vai se reunir ainda hoje com todos os demais diretores (seis no total), Yênes Magalhães (Planejamento); Roberto França (Comunicação e Marketing); Yuri Bastos (Turismo); Carlos Brito (Infraestrutura); Jefferson Castro ( Orçamento) e Agripino Bonilha Filho, (Articulação Interinstitucional), para saber do andamento dos projetos, das obras já licitadas ou em vias de lançamento do edital e os prazos de início e término das obras conforme exigências da Fifa. Também será feita uma visita às obras da Arena Pantanal, além de um estudo aprofundado sobre as obras de desbloqueio para implantação das obras de mobilidade urbana.

“A nossa expectativa é de não frustrar os anseios da sociedade. Precisamos fazer as coisas acontecerem. Os diretores conseguiram encaminhar os trabalhos e agora vamos dar continuidade às ações, com a obrigação de dar cada vez mais celeridade às obras. Vamos tirar a preocupação do mato-grossense sobre essas questões”, disse o novo diretor-presidente, antes da solenidade de posse, salientando que todas as ações realizadas pela Agência serão feita na maior transparência possível para que aja um amplo acompanhamento das autoridades de Contas, Assembleia Legislativa e da própria população no que se refere em emprego do dinheiro destinado às obras.

Eder Moraes disse ainda que não vai aceitar que os contratos já formalizados sejam reformados por aditamentos. “Vamos averiguar todos os possíveis aditamentos que forem feitos, ver se realmente são necessários ou se as obras podem ser feitas com qualidade e com os preços já aprovados ou, ainda, se há a possibilidade de baratear custos. Não vamos deixar que o dinheiro público ou provado seja gasto à torto e a direito como muitos acham”, completa.

TRANSPORTE URBANO

O governo do Estado já não está tão certo de que o melhor modelo para melhoria do transporte de passageiros de Cuiabá e Várzea Grande seja o BRT (Bus Rapid Transit). Nesta quinta-feira (28) o governador Silval Barbosa (PMDB), o presidente da Agecopa Eder Moraes, o diretor de Planejamento, Yênes Magalhães e, provavelmente o presidente da Assembleia Legislativa, deputado José Riva (PP) deverão embarcar para a Europa, cuja primeira parada é Portugal, para conhecer de perto o funcionamento do VLT (Veículo Leve sobre Trilho) e o DMU (outra versão do VLT, a diesel) para poder definir qual deles se encaixa melhor nas necessidades de Cuiabá e Várzea Grande.

“Não podemos dizer que será o BRT como vinha sendo trabalhado por ter sido uma opção colocada pelo governo anterior (Blairo Maggi), assim como também não podemos dar certeza da mudança para o VLT, o certo vai ser ver ambos em atividade para definir o que mais se enquadra ao modelo que Cuiabá precisa. Além disso há que ser considerado o valor final da passagem, já que o trabalhador mato-grossense não pode ser onerado por um transporte que , apesar de moderno, vai comprometer uma boa fatia do seu salário. Isso nós não podemos permitir”, concluiu Moraes.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros