Terça-feira, 21 de Maio de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,10
euro R$ 5,53
libra R$ 5,53

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,10
euro R$ 5,53
libra R$ 5,53

Cidades Sexta-feira, 12 de Agosto de 2016, 17:31 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Sexta-feira, 12 de Agosto de 2016, 17h:31 - A | A

CONTRA PROJETOS

Servidores da UFMT anunciam paralisação e aprovam indicativo de greve

JESSICA BACHEGA

Os servidores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) decidiram, em assembleia realizada nesta sexta-feira (12), pela realizar uma paralisação na próxima terça-feira (16). A categoria irá se reunir no auditório do Sindicato dos Trabalhadores Técnico-Administrativos em Educação da UFMT (Sintuf) e seguirão em carreata para a Praça Ipiranga, no centro de Cuiabá, onde um ato conjunto com vários outros trabalhadores e Centrais Sindicais (CSB) será realizado. 

 

Assessoria

Assembleia servidores da UFMT

 Assembleia dos servidores realizada na última sexta-feira (12)

Conforme a assessoria do Sindicato, a paralisação é uma forma de chamar a atenção da sociedade contra aprovação dos projetos, PEC 241 e o PLP 257. As propostas representam o fim da valorização do salário mínimo, congelamento da remuneração dos servidores públicos por 20 anos, cortes nos orçamentos de pastas como a educação e segurança, além de uma nova reforma na previdência que dificulta o trabalhador chegar a aposentadoria.

 

Na assembleia, os profissionais também deliberaram sobre o indicativo de greve, que ainda terá data a ser divulgada e a manifestação Fora Temer, contra o presidente interino Michel Temer.

 

“Os ataques que os trabalhadores estão sofrendo são os maiores da história. A retirada de direitos está acontecendo e o debate não está sendo feito como deveria, sem a cobertura da imprensa e o envolvimento da sociedade. A hora de lutar é agora. Estamos vendo um Governo que coloca a essência do arrocho nas contas públicas, o Estado mínimo, o interesse dos bancos e cobradores de juros à frente das necessidades da população”, destacou a coordenadora geral do Sintuf, Leia de Souza Oliveira.

 

O presidente da Associação dos Docentes da UFMT (Adufmat), Reginaldo Araújo, participou da assembleia. “Quanto mais enfraquecermos o Governo Temer melhor são as nossas chances de barrar todos estes ataques. Precisamos saber para onde realmente está indo o dinheiro, por isso defendemos uma auditoria da dívida pública”, argumentou o presidente.

 

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros