Quinta-feira, 23 de Maio de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,14
euro R$ 5,57
libra R$ 5,57

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,14
euro R$ 5,57
libra R$ 5,57

Cidades Sexta-feira, 01 de Março de 2019, 07:53 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Sexta-feira, 01 de Março de 2019, 07h:53 - A | A

VENCEDORA É ALVO DA RÊMORA

Prefeitura anuncia licitação de 100 salas de aula em contêineres por R$ 4,2 milhões

LEONARDO HEITOR

A Prefeitura de Cuiabá divulgou no Diário Oficial de Contas, publicado nesta quinta-feira (28), a adjudicação e homologação de uma licitação feita através de um pregão eletrônico, para a locação de 100 contêineres para serem usados como salas de aula. O valor total do contrato, vencido pela Aroeira Construções, ficou em R$ 4,2 milhões.

DIVULGAÇÃO

prefeitura

 

A licitação foi feita pela Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Educação. O resultado da licitação foi divulgado nesta quinta e prevê a construção de 100 “salas móveis em módulos estruturados em paineis de aço isotérmico com EPS, que após instaladas se convertem em imóveis, fazendo parte integrante de cada unidade escolar, para atender a demanda por salas de aula durante o ano letivo”.

O uso de contêineres como salas de aula foi questionado recentemente pelo vereador Abílio Jr. (PSC), o Abilinho, que chegou a vistoriar uma delas no início de fevereiro. O motivo da inspeção foi a tragédia ocorrida no Centro de Treinamento do Flamengo, que deixou um saldo de 10 jovens mortos após um incêndio iniciado em um ar-condicionado.

Na ocasião, o parlamentar afirmou que o objetivo da inspeção era para prevenir um caso semelhante em Cuiabá. No entanto, o secretário de Educação de Cuiabá, Alex Vieira Passos, juntamente com o engenheiro da obra, Ualei Uilquer, garantiu que o material utilizado nos contêineres das escolas é diferente, considerado com menor potencial de incendiar.

A empresa vencedora da licitação é a Aroeira Construções, Incorporação e Vendas Ltda. Ela é de propriedade de Ricardo Sguarezi e foi um dos alvos da Operação Rêmora, que investiga supostas fraudes em licitações na Secretaria de Estado de Educação (Seduc). O empresário, inclusive, foi um dos responsáveis por detalhar como funcionava o esquema, que envolveu a participação do então secretário da pasta, Permínio Pinto.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Eber 01/03/2019

Não são contêineres, que matéria tendenciosa!!!

positivo
0
negativo
0

1 comentários

1 de 1

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros