Sábado, 13 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,43
euro R$ 5,95
libra R$ 5,95

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,43
euro R$ 5,95
libra R$ 5,95

Cidades Domingo, 11 de Setembro de 2022, 14:25 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Domingo, 11 de Setembro de 2022, 14h:25 - A | A

EM APENAS 6 MESES

Mortes nas rodovias federais de MT já representam 77% do total ocorrido durante todo 2021

Maioria dos acidentes foi na BR-163, na porção norte de Mato Grosso. A via já é conhecida como ‘rodovia da morte’, devido ao volume de óbitos registrados no trecho, boa parte por imprudência

MÁRCIA TOMAZ
Da Redação

As rodovias federais de Mato Grosso registraram, no primeiro semestre deste ano, 172 mortes em decorrência de acidentes de trânsito, de acordo a Polícia Rodoviária Federal (PRF). Dados levantados pela PRF apontam que, no período, já ocorreram quase 77% (76,7%) de todas as mortes registradas nas rodovias federais do Estado em 2021, quando houve 224 mortes no ano todo.

A maioria dos acidentes ocorreu na BR-163, na região norte de Mato Grosso. A via já é conhecida como ‘rodovia da morte’, devido ao número de óbitos registrados no trecho.

Reprodução

ônibus

 

A PRF aponta o trecho norte da BR-163 como O mais perigoso, por ser uma das rodovias mais movimentadas do Estado, uma vez que o tráfego é composto, em sua maioria, por caminhões e carretas que fazem o escoamento das safras de grãos de Mato Grosso.

O superintendente da PRF, Francisco Élcio, relata que a maioria dos acidentes acontece por impudência ao volante. Além disso, a parte em questão da BR-163 não tem pista duplicada, o que acaba deixando o trecho mais perigoso.

Segundo a PRF, a duplicação de toda a extensão da BR-163 pode melhorar as condições de viagens e ajudar a reduzir os acidentes.

Na quarta-feira (7), por exemplo, quatro pessoas da mesma família morreram vítimas de acidente na BR-163, no perímetro urbano de Nova Mutum (240 km de Cuiabá). Todas estavam em um veículo de passeio que bateu de frente com uma carreta.

Uma das ocorrências mais graves deste ano foi em maio, no trecho do KM 799 da BR-163, no município de Vera (486 km de Cuiabá). Na ocasião, um ônibus que transportava 45 passageiros bateu de frente com uma carreta matando oito pessoas na hora e deixando 38 feridos.

Ainda conforme a PRF, o número de acidentes registrados de 1° de janeiro a julho já ultrapassa 68% do total de 2021, quando houve 2.152 ocorrências. Nos primeiros seis meses deste ano, já são 1.479 acidentes.

RODOVIAS ESTADUAIS

Nas rodovias estaduais, a situação não é diferente. Dados da Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp-MT) mostram que houve 301 mortes no primeiro semestre de 2022. Pouco menos do que os números registrados no mesmo período de 2021, quando morreram 326 pessoas em decorrência de acidentes de trânsito.

No total, os números de acidentes somam 3.411 em seis meses deste ano, quando, em 12 meses de 2021, foram 5.515, ou seja, já representam 61% de todos os registros do ano passado. 

CUIABÁ

Reprodução

ACIDENTE MT

 

Em contrapartida, em Cuiabá, houve queda no número de mortes no primeiro semestre de 2022, em comparação ao mesmo período de 2021. De janeiro a julho, Cuiabá registrou 37 óbitos em decorrência de acidentes no trânsito. No mesmo período de 2021, foram 52 mortes, ou seja, uma pequena redução de 28%.

Houve redução também no número total de acidentes. Nos seis meses de 2022 foram 1.040, quando no mesmo período de 2021, foram 1.179, ou seja, 11% a menos do que no ano anterior. 

Na madrugada de domingo, um jovem de 19 anos, sem Carteira Nacional de Habilitação (CHN), morreu ao colidir o veículo que conduzia em poste na Rodovia Palmiro Paes de Barros, no perímetro urbano. Outras três pessoas, sendo a mãe e dois irmãos de 11 e 12 anos, foram socorridos em estado grave.

VÁRZEA GRANDE

Em Várzea Grande, região metropolita, os números de acidentes de trânsito são alarmantes. Em média, são registrados de seis a 10 acidentes por dia na cidade. Segundo dados da Sesp, no primeiro semestre de 2022, houve registro de 384 ocorrências de trânsito na cidade.

Em relação ao número de mortes, no primeiro semestre de 2022, houve aumento de vítimas fatais de acidentes de trânsito. A cidade registrou 32 mortes, quando, no mesmo período de 2021, foram 26, ou seja, um aumento de mais de 46%.

Segundo a Guarda Municipal, que atua no trânsito da cidade, somente no primeiro semestre de 2022, Várzea Grande registrou 535 acidentes sem vítimas, ou seja, apenas colisão. Ainda conforme os agentes, os boletins de acidentes de trânsito com vítimas são confeccionados pela Delegacia de Delitos de Trânsito (Deletran).

Além disso, ainda existem casos em que as partes entram em acordo dispensando o atendimento da Guarda e, nesse caso, não é confeccionado o boletim de acidente de trânsito. 

Ainda existem os acidentes em que o condutor abandona o veículo na via, em que também não é confeccionado o boletim de ocorrência de acidente, ou seja, os números de acidentes devem ultrapassar a estimativa apontada pelos registrados da GM e Sesp. 

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros