Cidades Terça-feira, 28 de Junho de 2022, 14:22 - A | A

Terça-feira, 28 de Junho de 2022, 14h:22 - A | A

ANUÁRIO DA SEGURANÇA PÚBLICA

Levantamento aponta Cuiabá como 2ª capital com menor taxa de mortes violentas em 2021

Para contabilizar a taxa, o estudo leva em consideração os homicídios, latrocínios, lesões corporais seguidas de morte e mortes cometidas pela polícia

RAYNNA NICOLAS
Da Redação

Divulgação

image

Cuiabá é a segunda capital brasileira com a menor taxa de mortes violentas, segundo a última edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública. Disponibilizados nesta terça-feira (28), os dados revelam ainda que entre 2020 e 2021 houve queda de 39,4% na incidência desse tipo de morte. A capital mato-grossense só fica atrás de São Paulo, onde são registradas 7,7 mortes violentas a cada 100 mil habitantes.

Para contabilizar a taxa, o estudo leva em consideração homicídios, latrocínios, lesões corporais seguidas de morte e mortes cometidas pela polícia. 

Nesse sentido, o Anuário, quanto às ocorrências 2021, aponta para o registro de 47 homicídios dolosos, três latrocínios, uma lesão corporal seguida de morte, 15 mortes decorrentes da ação policial e nenhum policial civil ou militar morto em confronto em Cuiabá. 

Na contramão de Cuiabá e São Paulo, Macapá, a capital do Amapá, aparece com uma taxa de mortes violentas de 63,2 a cada 100 mil habitantes. No comparativo com a Cidade Verde, o número é 496,2% maior. Macapá é seguida de Salvador, na Bahia, onde a taxa ultrapassa 55 mortes violentas por 100 mil habitantes.

O levantamento completo pode ser conferido aqui. 

INVESTIMENTOS

Para o governo de Mato Grosso, a redução na taxa de mortes violentas é reflexo dos investimentos em segurança pública nos últimos três anos. Ao todo foram aplicados R$ 274 milhões em investimentos para reforçar a segurança da população cuiabana. Desse montante, R$ 92 milhões são em obras e ações concluídas ou em andamento. Entre os R$ 92 milhões, R$ 88 milhões se refere apenas a obras e ações concluídas. 

(Com Assessoria)

 

 

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros