Cidades Quinta-feira, 03 de Novembro de 2011, 11:26 - A | A

Quinta-feira, 03 de Novembro de 2011, 11h:26 - A | A

CASO TONI

Comandante da PM assina procedimento demissório de policiais acusados da morte de africano

Portaria que abre procedimento demissório oferece o direito de resposta ao acusados através de um advogado; processo pode demorar meses

 

Mayke Toscano/Hipernotícias

Comandante-Geral da Polícia Militar assina prodimento demissório que pode demorar meses para conclusão

O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Osmar Lino de Farias, assinou na manhã desta quinta-feira (3) portarias que abrem procedimento demissório dos policiais Higor Marcell Mendes Montenegro e Wesley Fagundes Pereira, ambos de 24 anos,  acusados de matar o estudante africano Toni Bernardo da Silva.

Os dois policiais, a partir desta semana, irão responder procedimento em caráter demissório que pode culminar em exclusão ou outra punição como detenção ou prisão administrativa. Na detenção o acusado fica o tempo todo na unidade em que está lotado, com direito a transitar pelo local e dormir à noite. Na prisão os policiais ficam por 30 dias isolados.

Caso seja definido pela detenção ou prisão, Higor Marcell ficará no batalhão em Barra do Bugres, onde está lotado, já Wesley Fagundes ficará no 3º Batalhão da PM em Cuiabá.

As portarias publicadas no boletim interno da Polícia Militar serão entregues para os encarregados que farão a análise de todos os depoimentos e argumentos da Corregedoria da Polícia Militar que concluiu que houve participação dos policiais na morte do estudante guineense, Toni Bernardo. Nesta fase, os acusados terão ampla defesa.

O prazo de conclusão do processo criminal leva o mínimo de 40 dias e pode ser prorrogado para mais 30 dias ou ter um desenrolar de meses já que dentro do processo interno da Polícia Militar, os dois terão o direito de se defender das acusações através de um advogado.

Por ter mais de três anos na corporação, Higor Marcell Mendes Montenegro terá o seu processo enquadrado através do Conselho de Disciplina. Wesley Fagundes Pereira que entrou na turma de 2011 responde por uma sindicância de caráter demissório.

As informações foram repassadas pelo corregedor-Geral da PM, coronel Joelson Sampaio. Desde o dia 17 de outubro os acusados estão trabalhando no sistema de Segurança Pública do Estado. Higor Marcell está desempenhando funções de despacho no Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) enquanto que Wesley Fagundes está realizando trabalho administrivo no Comando Regional 1, localizado na Avenida Historiador Rubens de Mendonça.

ENTENDA O CASO

O estudante africano Toni Bernardo da Silva era estudante da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e fazia parte do programa de intercâmbio entre Brasil e Guiné-Bissau, foi morto por espancamento no dia 22 de setembro na pizzaria Rola Papo, bairro Boa Esperança, em Cuiabá.

Também é acusado de matar o estudante o consultor Sérgio Marcelo Silva da Costa, 27 anos que ficou preso durante 19 dias na Penitenciária Central do Estado.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros