Brasil Sábado, 06 de Agosto de 2011, 11:02 - A | A

Sábado, 06 de Agosto de 2011, 11h:02 - A | A

INVESTIGAÇÃO

Senadores temem retrocesso no debate sobre Comissão da Verdade

Há setores preocupados com a possibilidade de Amorim ser contra a abertura total dos documentos do período

DA FOLHA DE SÃO PAULO

Com a troca de Nelson Jobim por Celso Amorim no Ministério da Defesa, congressistas temem o retrocesso das negociações sobre a criação da Comissão da Verdade para investigar crimes da ditadura (1964-1985) e sobre o sigilo eterno de documentos.

Na base de apoio da presidente Dilma, há setores preocupados com a possibilidade de Amorim ser contra a abertura total dos documentos do período --como foi defendido pelo Itamaraty.

"Jobim estava na linha do acesso à história. E o Ministério das Relações Exteriores trabalha com o pé atrás sobre o acesso a fatos relacionados à defesa do país. Espero que o ministro pegue o sentimento do acesso total", disse o senador Walter Pinheiro (PT-BA).

Para a oposição, a escolha de Amorim prejudica as negociações com o Congresso diante do "viés esquerdista" do ministro.

"Jobim estava negociando, essa turma [do PT] já quis rever a Lei da Anistia", disse o senador Demóstenes Torres (DEM-GO).

Se ainda estivesse no cargo, Jobim teria encontro com a bancada do PSDB no Senado na terça-feira (9) para discutir a Comissão da Verdade.

Em defesa de Amorim, o presidente da Comissão de Direitos Humanos do Senado, Paulo Paim (PT-RS), disse que o ex-ministro vai manter o diálogo "com todos os setores" para que a comissão seja instalada.

Clique aqui  e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros