Quarta-Feira, 20 de Novembro de 2019, 07h:01

Tamanho do texto A - A+

Maternidade e estilo

Por: PRI PREVIATTO

Divulgação

Pri Previato_capa


Talvez pareça improvável para o leitor, mas cerca de 80% das mulheres que buscam a consultoria de estilo e imagem são recém-mães. Estes dados vêm dos meus atendimentos referentes ao último ano.

O processo de consultoria de estilo e imagem vai muito além do vestir, como já disse aqui outras vezes, é um ato de autoconhecimento muito corajoso, pois o vestir é um espelho da alma, e nele estão estampadas nossas feridas, angústias, inseguranças e, claro, as alegrias. E após a consultoria o objetivo é que nele esteja claro a sua personalidade bem definida e em harmonia com seu objetivo de imagem.

Uma mulher que vive a maternidade na maioria dos casos se entrega totalmente ao momento, passa a viver em prol do seu bebe 30 horas por dia, e obviamente ela vai ficando esquecida. E muitas delas, após um período, se percebem assim: “esquecidas” e isso incomoda.

Este artigo vem para dizer que está tudo bem, que você não está sozinha e explicar dentro do movimento de estilos o que e por quê isso acontece.

Todas as pessoas possuem 3 estilos e oscila entre eles ao decorrer de sua trajetória. Pois isso muitas das coisas que nos representavam com veemência talvez hoje não caiba mais no seu vestir.

Pois bem, quando a maternidade chega, a mulher comumente migra para o seu estilo que mais trafega dentro do conforto e agilidade, afinal, é disso que essa mulher precisa naquele momento, conforto para estar sempre pronta para a necessidades de seu bebê, sem se judiar, e objetividade no vestir, pois o tempo sem dúvidas parece ser metade do tempo real, não é mesmo?

Com o passar dos anos a maioria das mulheres se percebe esquecida, pois aquela criança já tem certa autonomia e ela deseja retomar o autocuidado que tinha antes da gravidez, porque, por óbvio, o sexo feminino tem a necessidade de se sentir poderosa para assim ter mais força para as atividades do dia a dia. Porém, essa pode ser uma atividade difícil de se realizar sozinha, haja vista que quem tem filho nem sequer lembra de quem era antes deles, não é mesmo? A criança, na maioria das vezes, chega para dar um outro sentido à vida daquela família e é neste momento que a mulher se perde em relação a sua identidade visual, a sua marca pessoal.

Fiquem calmas! Você se transformou, viveu aquele momento com intensidade e agora é aos poucos que você se reencontra, são novos objetivos, uma nova rotina e o seu estilo acompanha esse turbilhão de mudanças evolutivas. Tudo se resume em amor, amor a família, ao momento e a você mesma!

Lembrando que “se sentir poderosa” é subjetivo e diferente para cada mulher.

(*) PRI PREVIATO é Consultora de Estilo e Imagem e escreve para HiperNoticias às quartas-feiras. Instagram: priscila.previato – Facebook: pripreviato

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei



Últimas Notícias