Domingo, 19 de Maio de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,11
euro R$ 5,55
libra R$ 5,55

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,11
euro R$ 5,55
libra R$ 5,55

Variedades Quinta-feira, 18 de Abril de 2024, 08:30 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Quinta-feira, 18 de Abril de 2024, 08h:30 - A | A

SAIBA MAIS

Farmacêutica brasileira faz acordo para vender remédio similar ao Ozempic no país

Conhecido pelos seus efeitos de emagrecimento, o medicamento se tornou "febre" nos últimos anos no Brasil, apesar de ser indicado aos casos de diabetes tipo 2

CONTEÚDO ESTADÃO
da Redação

A farmacêutica brasileira Biomm fechou um acordo com a empresa de biotecnologia indiana Biocon para comercializar e distribuir um medicamento similar ao Ozempic no Brasil. A informação foi divulgada oficialmente pela empresa brasileira na quarta-feira (17), por meio de um fato relevante (documento usado por empresas de capital aberto para comunicar novidades ao mercado).

Atualmente, a patente (ou seja, o direito exclusivo de comercialização) do Ozempic pertence à companhia dinamarquesa Novo Nordisk, mas essa garantia termina em 2026, de acordo com a empresa.

De acordo com a empresa, assim como o Ozempic, o novo medicamento terá como princípio ativo a semaglutina - forma sintética do hormônio GLP-1 que age no controle dos níveis de açúcar no sangue e reduz o risco de eventos cardiovasculares, como infarto ou AVC. Esse fármaco é destinado para pacientes com diabetes tipo 2, mas vem sendo amplamente usado para o emagrecimento - com ou sem indicação médica.

Segundo um levantamento mencionado pela Biomm, o mercado brasileiro de semaglutida teria movimentado cerca de R$ 3 bilhões de reais em 2023. A farmacêutica diz que, com a comercialização nacional, pretende ampliar o acesso da população brasileira aos tratamentos avançados contra o diabetes.

A Biomm disse que pretende tornar o preço do medicamento mais acessível por aqui, mas que ainda não tem como fornecer uma estimativa de valor porque isso dependerá de condições futuras do mercado.

Importante destacar que, além do término da patente em vigor, a distribuição e comercialização desse novo medicamento pela Biomm ainda depende da aprovação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e da publicação do preço pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED).

(Com Agência Estado)

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram. 

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros