Política Segunda-feira, 09 de Maio de 2011, 18:34 - A | A

Segunda-feira, 09 de Maio de 2011, 18h:34 - A | A

ACREDITE SE QUISER

Lideranças do PSDB e DEM concordam com fusão de partidos

Presidente regional dos tucanos alega que sempre houve harmonia com democratas

Agência Senado
Senador Jaime Campos é mais comedido, mas não vê problema de fundir partidos após eleição de 2012
Grande parte das lideranças de PSDB e DEM de Mato Grosso concorda com a proposta de fusão entre as duas siglas no país. O tucano Nilson Leitão, que assumiu a direção regional do partido recentemente não hesita em considerar essa uma das saídas para o fortalecimento político-institucional das legendas.

“Sou totalmente favorável porque sempre houve  essa harmonia entre os dois partidos.   O DEM foi vice duas vezes do governo Fernando Henrique e acho que o caminho é esse, só penso que o que precisa ser feito é um acerto ideológico, mas a  tendência acho que seja mesmo a redução de partidos”, opinou Leitão

Maior líder do DEM de Mato Grosso, o senador Jaime Campos é mais comedido, mas não descarta  a fusão após o pleito de 2012. Ele disse ter se reunido nos últimos dias com o presidente nacional do DEM, Agripino Maia, tratando exatamente disso e que, na conversa ficou claro que não se deve considerar a fusão das legendas num curto espaço de tempo.

“O objetivo nosso é termos candidatura própria em 2012 na maior parte dos municípios do Brasil e se os partidos diminuírem aí sim penso que a conversa seja retomada”, disse Jaime descartando a fusão imediatamente.

Pensamento diferente  o do também democrata Dilceu Dal Bosco, pré-candidato a prefeito de Sinop. “Respeito a opinião do senador, que tem uma visão mais geral da coisa, mas eu particularmente não vejo problema  algum na fusão, até porque sou oriundo do PSDB  e já andamos juntos em muitas eleições”argumentou

A discussão sobre uma possível fusão ganhou força com a recente debandada de filiados do DEM para o Partido Social Democrático (PSD), do prefeito paulistano Gilberto Kassab. Só na Câmara dos Deputados, a bancada de 43 deputados democratas deve perder pelo menos onze parlamentares. Já no Senado, o partido perdeu sua representante do agronegócio, a senadora Kátia Abreu (TO). Além disso, há a perspectiva de saída do governador Raimundo Colombo (SC) nos próximos dias.

Recentemente o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso admitiu que existe a possibilidade de fusão entre o PSDB e o DEM, mas ressaltou que as conversas são "preliminares".

PERDA 

No âmbito estadual, o DEM deve perder o deputado estadual Dilmar Dal Bosco, que já anunciou filiação ao PSD. O tucanato também teme perder lideranças para a nova sigla, como o que ocorrer com o prefeito Bertilho Buss que deve trocar o PSDB pelo PSD.

Outro ponto que dificulta a fusão imediata de DEM e PSDB é  que  se ocorrer antes de 2012, isso mudaria a divisão de tempo destinada à propaganda eleitoral dos partidos na TV e no rádio para  leito do ano que vem.

Em Mato Grosso, o PSDB não possui a administração de nenhuma grande prefeitura. Até 2010 os tucanos detinham o comando da prefeitura de Cuiabá, mas com a saída de Wilson Santos para disputar o governo do Estado, onde não obteve êxito,  , a legenda tornou-se ainda frágil. Situação muito parecida com a do DEM que ainda tem três deputados, um federal e dois estaduais, além do senador Jaime Campos, eleito ainda em 2006.

Para 2012, já foi colocada a pré-candidatura do deputado estadual Guilherme Maluf, único eleito pelo PSDB à Assembléia Legislativa. “Não vejo nenhuma dicotomia nisso [fusão], aliás são dois partidos que até já estão juntos há muito tempo”, opinou Maluf, defendendo a união.

 

Clique aqui  e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros