Mundo Sábado, 26 de Novembro de 2011, 14:18 - A | A

Sábado, 26 de Novembro de 2011, 14h:18 - A | A

ATAQUE

Otan diz que ataque pode ter deixado soldados paquistaneses mortos

Para Otan, é 'bastante provável' que ação da coalizão foi responsável

PORTAL G1

imagem da internet

Duas fontes militares disseram que 28 soldados foram mortos e 11 ficaram feridos no ataque
Um porta-voz da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) afirmou que é bastante provável que aeronaves que participaram de uma operação neste sábado (26), na fronteira entre Paquistão e Afeganistão, tenham sido responsáveis por mortes de soldados paquistaneses.

"Estamos cientes de que há vítimas no Paquistão", disse o general Carsten Jacobson, porta-voz da força internacional da Otan no Afeganistão (Isaf), destacando que "é bastante provável" que elas tenham sido causadas por uma ação da coalizão. 

Duas fontes militares disseram que 28 soldados foram mortos e 11 ficaram feridos no ataque. A agência France Presse informou que o total de mortos chega a 26.

Segundo o Paquistão, o ataque da Otan ocorreu na madrugada em uma zona tribal na fronteira entre os dois países, um tradicional reduto de talibãs e da rede Al-Qaeda, que realizam ataques constantes contra tropas da Otan em território afegão.

O primeiro-ministro, Yusuf Raza Gilani, protestou "nos termos mais enérgicos" perante a Otan e os Estados Unidos, país que dirige a coalizão, e realizou uma reunião de emergência em Islamabad com o presidente Asif Ali Zardari e com os chefes das Forças Armadas.

Em represália, o governo do Paquistão ordenou o bloqueio de todos os comboios de abastecimento da Otan no Afeganistão que passam por território paquistanês.

Uma caravana de caminhões que se encontrava perto de cruzar a fronteira em Khyber "foi reenviada a Peshawar", principal cidade do nordeste do país, disse Muthair Hussein, responsável pela administração de Khyber, por onde passam as cargas de provisões da Otan.

A grande maioria das provisões da Otan no Afeganistão chega por barco até Karachi, porto do sul do Paquistão, e depois transita por terra através de Peshawar e pela fronteira de Khyber, ou através de Quetta e da cidade fronteiriça de Chaman.

Nos últimos anos, o Paquistão denunciou por diversas vezes a violação do espaço aéreo nacional por parte da Isaf. A última crise ocorreu em setembro, quando o país acusou a força internacional de matar dois soldados paquistaneses.

Os Estados Unidos acusam regularmente o Paquistão de fazer um jogo duplo e de sustentar clandestinamente rebeldes talibãs para defender seus interesses estratégicos no Afeganistão, de onde a Otan pretende retirar todas as suas tropas antes do fim de 2014.

As relações entre os dois países se deterioraram seriamente depois que um comando americano invadiu o espaço aéreo paquistanês e matou o então líder da Al-Qaeda, Osama Bin Laden, na cidade de Abbottabad, no norte do Paquistão, em maio.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros