Quarta-feira, 19 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,43
euro R$ 5,84
libra R$ 5,84

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,43
euro R$ 5,84
libra R$ 5,84

Justiça Terça-feira, 14 de Maio de 2024, 13:54 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Terça-feira, 14 de Maio de 2024, 13h:54 - A | A

EXCLUÍDO DA AÇÃO

Ex-governador tenta reaver casa no Manso e fazenda em ação sobre compra de vaga no TCE

Em fevereiro de 2023, o juízo da Vara Especializada de Ações Coletivas reconheceu não existirem elementos probatórios mínimos que justificassem a continuidade do processo contra Blairo Maggi

RAYNNA NICOLAS
Da Redação

O ex-governador Blairo Maggi (PP) pediu a liberação de mais duas propriedades bloqueadas em ação que apura suposta compra de vaga no Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso (TCE-MT). Os imóveis ficam localizados nos municípios de Chapada dos Guimarães (65 km de Cuiabá) e Itiquira (359 km de Cuiabá). Pleito baseia-se na exclusão do ex-governador do polo passivo da ação. 

Ocorre que, em fevereiro de 2023, o juízo da Vara Especializada de Ações Coletivas reconheceu não existirem elementos probatórios mínimos que justificassem a continuidade do processo contra Maggi. Ele era acusado de participar das negociações para que o ex-conselheiro do TCE Alencar Soares se aposentasse antecipadamente, abrindo caminho para que Sérgio Ricardo assumisse a vaga. 

LEIA MAIS: Juiz desbloqueia bens de Blairo, ex-conselheiro do TCE e empresário em ação da Ararath

Quando foi excluído da ação, Maggi conseguiu recuperar R$ 4 milhões de seu patrimônio, bloqueados no bojo do processo. Em dezembro de 2023, a defesa do ex-governador ratificou o pedido de liberação do bens, tendo em vista que ainda existiam restrições não levantadas. 

Desta vez, a defesa de Blairo citou bloqueios que ainda recaem sobre dois imóveis no interior do Estado. Em Chapada dos Guimarães trata-se de um lote de 0,14 hectares adquirido no condomínio de alto padrão Náutico Portal das Águas, na região do lago de Manso. Já em Itiquira, a propriedade é denominada Fazenda Boa Sorte e conta com cerca de 177 hectares. 

O juiz do caso ainda não se manifestou sobre os pedidos. 

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Crítico 14/05/2024

Tá 1 vergonha essa JUSTICA DE MT SOCORRO C.N.J

positivo
0
negativo
0

1 comentários

1 de 1

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros