Domingo, 17 de Novembro de 2019, 19h:55

Tamanho do texto A - A+

Brasil repete time principal e perde torneio sub-23 para Argentina na Espanha

Por: CONTEÚDO ESTADÃO

Diante da Argentina na final do Torneio Internacional de Tenerife, na Espanha, a seleção brasileira sub-23 seguiu uma linha muito semelhante à da equipe principal na última sexta-feira. Se os comandados de Tite perderam por 1 a 0, com gol sofrido no início do jogo, a equipe de André Jardine caiu pelo mesmo placar, sob circunstâncias muito semelhantes, e acabou perdendo o título do evento preparatório para o Pré-Olímpico.

O gol único do tenso jogo disputado na Gran Canaria Arena, em Las Palmas, foi marcado em uma falha na saída de bola brasileira, com Capaldo conferindo para o rival sul-americano e decretando o segundo revés do Brasil sob o comando de Jardine.

O treinador e seus atletas têm 11 jogos desde que iniciaram a preparação este ano com oito vitórias, um empate e duas derrotas, tendo o título do Torneio Maurice Revello - antigo Toulon -, conquistado em junho, no currículo. O Pré-Olímpico da Colômbia, que acontece em janeiro de 2020, oferecerá duas vagas diretas para o evento de futebol dos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Em partida repleta de animosidade entre os jogadores, uma falha individual do goleiro Phelipe em um lance infeliz entregou a bola nos pés de Zaracho. O argentino avançou com a bola e bateu fraco, mas o camisa 1 brasileiro ainda ofereceu o rebote, aproveitado por Capaldo, que mandou para o gol logo aos quatro minutos do primeiro tempo.

Com a vantagem, em situação similar à que acontecera no amistoso da última sexta-feira entre as equipes principais, disputado em Riad, na Arábia Saudita, quando os argentinos abriram o placar com gol de Messi antes do primeiro terço do jogo, os garotos do país vizinho se aproveitaram do nervosismo brasileiro a partir de então.

Tal qual o time de Tite, o time sub-23 do Brasil era desorganizado e sem força coletiva. Apenas Paulinho, ex-Vasco e hoje no Bayer Leverkusen, conseguia incomodar a defesa adversária, com tentativas individuais.

Na etapa final, o momento de maior tensão no confronto ocorreu quando Martinelli, do Arsenal, se desentendeu com Urzi e a discussão por pouco não descambou para uma confusão generalizada. Para além deste momento, apenas jogadas de contra-ataque dos argentinos marcaram os melhores momentos, mas o placar permaneceu o mínimo, com a segunda vitória da Argentina sobre o Brasil em dois dias, desta vez sobre o atual campeão olímpico.

(Com Agência Estado)
Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei