Terça-Feira, 26 de Maio de 2020, 14h:55

Tamanho do texto A - A+

Tecnologia permite comprar no débito com auxílio emergencial sem necessidade de saque

Além de ser rápido e seguro, usando o cartão de débito virtual a pessoa vai preservar a sua saúde e ajudar a evitar aglomeração de pessoas nas agências bancárias

Por: REDAÇÃO

A Caixa Econômica Federal iniciou nesta semana os novos pagamentos da primeira parcela do auxílio emergencial de R$ 600 para 8,3 milhões de pessoas aprovadas no último lote da Dataprev, conforme o mês de nascimento. Diante dessa situação de risco provocada pela aglomeração de pessoas que precisam do benefício, aumentando o risco de contaminação do Coronavírus, várias alternativas estão sendo criadas por empresas para desafogar as agências e facilitar o acesso ao auxílio.

Reprodução

caixa cartao debito

A realização de compras direto no débito com o auxílio emergencial, sem a necessidade de um cartão físico, é uma das opções que facilita a vida do beneficiário. Uma tecnologia desenvolvida pela RedeFlex, especialista no mercado de transações eletrônicas, o serviço acaba com a necessidade de enfrentar as imensas filas para sacar o socorro do Governo Federal, porque permite a compra  no comércio na modalidade débito e já está disponível em cinco mil pontos de venda em Mato Grosso, inclusive em serviços essenciais como supermercados, mercearias e farmácias.

“Diante das dificuldades enfrentadas pela população por causa do Covid-19, nós visualizamos uma oportunidade para melhorar a vida do nosso cliente. Assim, ao perceber que o principal problema para o nosso usuário é a dificuldade para sacar o benefício emergencial na Caixa Econômica, além do alto risco de contaminação do vírus, nós desenvolvemos esse sistema para que o beneficiário possa usufruir do auxílio, desde que já esteja disponível no aplicativo Caixa Tem, sem precisar esperar o dia 30 para sacar o dinheiro e enfrentar filas”, explica o sócio-diretor da RedeFlex, Diego Faria.

A ferramenta está disponível nos pequenos estabelecimentos de bairro, como conveniências, farmácias e hortifrútis, e também nas grandes redes de supermercados e atacadistas. “Além de ser mais rápido e seguro, usando desta forma a pessoa vai preservar a sua saúde e ajudar a evitar aglomeração de pessoas nas agências bancárias, diminuindo os riscos de contaminação do coronavírus”, aponta Faria.

Para Maurício Cosco, vendedor da Drogaria Vida Nova no bairro Pedra 90, um dos pontos de venda cadastrados, esse é um momento importante para ajudar o próximo. “A farmácia está localizada em uma região populosa e carente da capital, por isso, é importante facilitar o acesso dessas famílias ao auxílio emergencial, que com certeza vai ser usado para a alimentação e manutenção da saúde”.

A auxiliar de serviços, Márcia Maria Nogueira, 48 anos, conta que o marido vai receber o auxílio emergencial da Caixa e que a família está feliz de poder ter acesso aos R$ 600 sem precisar sacar. “Meu marido foi informado que o dinheiro estaria na conta no dia 20 de maio, mas que só estaria disponível para saque depois do dia 30. Essa alternativa de usar os pontos de venda facilita, porque a gente vai poder fazer as compras no débito, sem precisar enfrentar filas para sacar o auxílio”.

Como usar - A compra via débito do auxílio emergencial é simples. Ao invés de sacar o dinheiro na agência, o contemplado baixa o aplicativo Caixa Tem e, por ele, gera um cartão virtual, com número, data de validade e código de verificação. Na ferramenta, é possível verificar o saldo, para saber se o benefício já foi disponibilizado.

Nos locais habilitados pela RedeFlex, devidamente sinalizados com adesivos e banners, o beneficiário informa que vai pagar com o auxílio emergencial. O lojista seleciona a opção direto na maquininha de recarga, onde também informa valor da compra, CPF do cliente e código de verificação dinâmico, gerado na hora pelo aplicativo “Caixa Tem”. No primeiro uso, é necessário digitar também número do cartão virtual e data de validade. Aprovada a transação, o valor é debitado diretamente do saldo disponível.

As maquininhas de recarga da RedeFlex estão em mais de 60 mil pontos de venda no Brasil, em 10 estados, com uma cobertura de 65% do território nacional e atende mais de 45 milhões de clientes.

 

 

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei

Leia mais sobre este assunto