Cidades Domingo, 04 de Dezembro de 2011, 09:00 - A | A

Domingo, 04 de Dezembro de 2011, 09h:00 - A | A

HOMENAGEM ESPECIAL

Matriarca de família tradicional comemora 101 anos neste domingo

Dona Julieta Felfili, amigos e familiares recebem homenagens pelo dia especial; festa marca data no bairro Aeroporto, em Várzea Grande

Mayke Toscano/Hipernotícias

Dona Julieta Figueiredo Felfili, mulher forte e de grande sabedora, orgulha-se de ter amigos de todas as idades

Delicadeza, simplicidade e bondade são muitos os adjetivos para qualificar a matriarca de uma família tradicional com 13 filhos, 36 netos, 40 bisnetos e dois tataranetos. Julieta Figueiredo Felfili completa neste dia 4 de dezembro 101 anos. Ela e família moram no bairro Aeroporto, em Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá.

À toda a geração, que construiu com o esposo Sebastião Felfili, sempre ensinou que o mais importante é ser uma pessoa humilde, obediente e acima de tudo saber respeitar as outras pessoas.

Como exemplo de bondade e respeito, dona Julieta é uma daquelas pessoas raras que demonstra do que o verdadeiro amor é capaz. É especial não só pelo fato de ter um século de vivência, mas porque tem uma sinceridade cativante, uma sabedoria que faz, até mesmo, bisnetos e tataranetos querer sentar ao seu redor para ouvir suas histórias e lendas antigas.

O que também destaca é o seu calor humano, próprio de muitas pessoas que nasceram e se criaram em Várzea Grande. Ela adora fazer novos amigos e se orgulha de tê-los em todas as idades.

Com uma lucidez peculiar de quem se lembra da vida desde os quatro anos de idade, dona Julieta ou Julí para os íntimos, assiste a missa pela televisão todos os dias durante uma hora na TV Aparecida.

A bisneta Ana Luiza diz que durante a missa, celebrada na sala de casa, a bisavó se preocupa com as outras pessoas. “Ela benze a água e dá para as pessoas que estão precisando e funciona”, diz Ana Luiza.

Devota de São Benedito ela resume essa prática diária de querer ajudar as pessoas - “a fé é tudo!”.

Como matriarca da família, dona Julieta é sempre consultada pelos filhos, netos e bisnetos, antes deles tomarem alguma decisão, tamanha é a consideração que todos têm por ela. “Eles me respeitam e eu respeito eles também. Sinto orgulho. Graças a Deus tenho uma família unida”, diz Julieta.

Mulher forte e de posição firme diz que conseguiu chegar ao centenário porque nunca fumou e muito menos bebeu. Gosta muito de feijoada e de cuidar das plantas, sua bisneta ainda revela que tem momentos em que vê a bisavô arrastando os vasos da casa para não pegar muito sol.

Dona Julieta diz que o cuidado especial com as plantas é porque a região está muito quente. “Antigamente chovia mais e não era tão quente como agora”.

MUNDO ANTIGO, MUNDO MODERNO

Dona Julieta se lembra do momento em que a luz elétrica chegou a Cuiabá. A primeira usina implantada foi inaugurada em 1928, conforme informações da empresa Cemat, do Grupo Rede Energia.

Na época, muitas pessoas ficavam em frente de suas casas conversando, brincando na escuridão costumeira.

“No dia da luz foi a maior alegria, estava na porta com minhas amigas e de repente clareou!”

A chegada da luz elétrica trouxe consigo a novidade e as mudanças peculiares do que hoje conhecemos como o mundo moderno.

Já com a idade avançada, dona Julieta conheceu a TV. A novidade trouxe para sua vida o fascínio pelos programas musicais. “Antes tinha coisa boa, faziam os shows, agora nem tanto”. Atualmente os programas que a divertem na telinha são as missas e no sábado assiste ao programa Varanda Pantaneira apresentado pelo músico João Eloy.

Mãe de 10 filhos biológicos e três adotivos ela considera que as transformações da vida moderna deixaram os pais sem rédea, sem norte para saber guiar uma boa educação. “As crianças de hoje em dia não respeitam mais, antes não era assim, falava e já obedecia”.

Nascida em Nossa Senhora do Livramento, dona Julieta viveu nos mimos como filha única dos pais Maria Enejilda de Figueiredo e José Augusto de Figueiredo. Por parte de pai teve outros quatro irmãos que a consideravam a princesa da casa, mesmo assim, construiu a vida na simplicidade e colhendo os frutos por sempre ter sido uma pessoa humilde.

Sobre a festa organizada pela família para comemorar suas primaveras, ela revela – “isso é coisa de Jorginho”, e solta um riso, empolgada com a ideia de receber as pessoas queridas.

Jorginho é seu neto, Jorge Murssa, radialista tradicional que trabalhou por mais de 30 anos na comunicação em Cuiabá, só de Rádio Cultura ele acumula 27 anos de carreira.

Mayke Toscano/Hipernotícias

Devota de São Benedito, a matriarca diz que a fé é tudo e recomenda a religião para todos como forma de viver bem

 

 

 

 

 

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Jefferson 06/12/2011

Parabens HiperNoticias! Muito bom fazer uma matéria sobre uma pessoa tão importante para a cultura matogrossensse, isso valoriza mais o nosso Estado. Eu sei tudo sobre essa matéria, pois tive o prazer de acompanhar de perto o trabalho de vocês. Ótima foto Mayke.

Pedro Reis 05/12/2011

Parabens a matiarca da familia Felfili, e todos os seus,...

EDU CADOR 04/12/2011

QUEM ÉS TU?!

3 comentários

1 de 1

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros