Cidades Quarta-feira, 23 de Novembro de 2011, 10:50 - A | A

Quarta-feira, 23 de Novembro de 2011, 10h:50 - A | A

REPRESSÃO

Exército e Força Nacional fecham fronteira para reprimir crimes

Tropas federais e estaduais operam em conjunto para combater tráfico de drogas, contrabandos, entre outros delitos; centenas de militares estão em estradas estaduais e federais, além das conhecidas “cabriteiras”

DA REDAÇÃO

 

 Marcos Negrini/Secom-MT

Aeronaves também estão sendo usadas no comabate a crimes na região de fornteira com a Bolívia

A maior repressão contra crimes na fronteira com a Bolívia, a Operação Ágata recomeçou na terça-feira (22) em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Acre, estados que compõem as regiões Centro-Oeste e Norte. A ação é parte do Plano Estratégico de Fronteiras, lançado em junho pelo governo federal.

Duas edições da Operação Ágata já foram executadas desde que o Plano Estratégico de Fronteiras foi lançado: a primeira no Comando Militar Sul nos municípios com divisa ao Paraguai, Argentina e Uruguai e a segunda, no Norte abrangendo a região Amazônica. A da região Centro-Oeste é a Operação Ágata 3, liderada pelo Comando Militar Oeste - o 2º Batalhão de Fronteira (BFron) - com atuação na faixa de todo Mato Grosso.

Conjuntamente, a Operação Ágata 3 é executada pelas Forças Armadas, com o Exército Brasileiro, Marinha, Aeronáutica, Força Nacional de Segurança e a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp/MT) com as polícias Militar e Civil, Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), Grupo Especial de Fronteira (Gefron) e Defesa Civil. O Plano Estratégico de Fronteiras é coordenado pelo vice-presidente Michel Temer, junto aos ministérios da Defesa e da Justiça.

O comandante da 13º Brigada de Infantaria Motorizada, general João Batista Carvalho Bernardes, coordenador da operação no Estado de Mato Grosso, destacou que a atuação é feita com impacto pontual em áreas que agora serão fiscalizadas com mais frequência.

Só em Mato Grosso irão atuar em cerca de mil quilômetros em território terrestre e fluvial com aumento de efetivo e tecnologia de ponta como aviões caça e espiões; o R99, um tipo de avião radar não tripulado que detecta qualquer veículo em movimento, mesmo à noite; além de helicópteros e barcos.

ÁGATA 3

Na operação, que não tem data para encerrar, equipes integradas pelas Forças Armadas e a Segurança Pública de Mato Grosso, de forma ostensiva, realizam a ação de impacto em pontos da fronteira, no controle e bloqueio de estradas, entre outras interceptações por barcos ou aeronaves, reforçando a presença do Estado em pontos que ocorrem a atuação de traficantes, contrabandistas e quadrilhas, principalmente de roubo de veículos.

O orientador do PróJovem, Everaldo Tadeu Alves, morador de São José dos Quatro Marcos, abordado por uma das equipes de bloqueio na estrada da Vila Tabuleta - via alternativa entre Glória D’Oeste e São José – elogiou a operação mesmo tendo todo o veículo minuciosamente revistado. “É um trabalho magnífico, muito bom para a gente que mora nesta região de fronteira. Com certeza, vai impedir a ação dos criminosos e a entrada de drogas nas nossas cidades”, disse Everaldo que revelou já ter o veículo perseguido na mesma estrada.

Todo o efetivo do Grupo Especial de Fronteira está mobilizado nesta operação, conforme o chefe de Operação do Gefron, major Agilson Azizes. Para o responsável pelo Comando Militar Oeste, coronel Moraes Henrique, o Gefron é o facilitador destas operações com a indicação de alguns pontos críticos da fronteira já levantados.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros