Segunda-Feira, 01 de Junho de 2020, 09h:52

Tamanho do texto A - A+

Energisa alerta sobre os riscos de pipas e outros objetos na rede elétrica

Por: REDAÇÃO

A Energisa registra anualmente um número significativo de ocorrências relacionadas a objetos na rede elétrica, especialmente pipas. Com as crianças e adolescentes em casa por causa da pandemia do Covid-19, a recomendação é de cuidado redobrado para evitar acidentes.

Reprodução

Energisa

Quando objetos ficam presos aos fios de energia elétrica, eles podem ocasionar diversos problemas, como queda de energia, choques, incêndios, queimaduras graves e até mesmo acidentes fatais. O ideal é que a brincadeira ocorra em locais abertos e afastados da rede elétrica para evitar acidentes. Nunca use fios metálicos ou cerol, e caso a pipa fique presa nos cabos de energia, não tente retirá-la.

Para brincar de pipa com segurança, confira mais orientações da Energisa:

- Crianças não devem soltar pipa sem a supervisão de um adulto; 

- Procure locais distantes da rede elétrica, como parques e campos abertos;

- Não utilize materiais cortantes, como a linha chilena e o cerol;

- Nunca tente remover a pipa que tenha ficado enroscada na rede elétrica. Apenas os profissionais autorizados pela Energisa, munidos de todos os itens de segurança e treinamentos necessários, podem fazer a manutenção na rede elétrica;

- Não solte pipa próximo a ruas e avenidas. A linha pode ser perigosa para os condutores, causando, principalmente, acidentes com motos e bicicletas;

- Alerte outras pessoas sobre o risco de soltar pipas sem os devidos cuidados. A conscientização é fundamental para reduzir transtornos e acidentes.

Outros objetos nos fios - Quando há chuva ou ventos fortes, as rajadas de vento podem jogar objetos maiores contra a rede elétrica, como placas, lonas e até mesmo árvores. Quando isso acontece, não se aproxime e avise imediatamente a Energisa.

Em casos de objetos na rede entre em contato com a distribuidora por meio do 0800 646 4196 e caso haja princípio de incêndio, acione também o Corpo de Bombeiro – 193.

 

 

 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto