Brasil Quarta-feira, 20 de Abril de 2011, 11:38 - A | A

Quarta-feira, 20 de Abril de 2011, 11h:38 - A | A

PF prende promotora suspeita de ligação com mensalão do DEM

Segundo informações, Deborah Guerner e seu marido planejavam fugir para a Itália

da Folha Online

A promotora Deborah Guerner foi presa pela Polícia Federal na manhã desta quarta-feira em Brasília.

Ela é investigada por suspeita de tráfico de influência na operação Caixa de Pandora de 2009, que apura esquema de coleta e distribuição de propina na capital federal

Segundo informou a PF, Deborah e o marido, o empresário Jorge Guerner, foram presos em casa. Informações dão conta de que eles planejavam fugir para a Itália.

A promotora vai ser levada para a Superintendência da PF em Brasília e o marido deve seguir para penitenciária da Papuda.

OUTRO LADO

O advogado do casal Guerner, Paulo Sérgio Leite Fernandes, disse que as informações de que o casal pretendia deixar o Brasil "são absolutamente falsas".

Ele afirmou que Deborah e Jorge acabaram de regressar da Itália, o que seria uma evidência de que não pretendiam sair do país com a intenção de fugir das autoridades brasileiras. Eles viajaram no último dia 9 para Milão e retornaram no dia 15.

Fernandes também negou que o casal precisasse obter autorização judicial para a viagem à Itália.

O advogado disse que ainda não teve acesso à decisão do TRF (Tribunal Regional Federal) da 1 ª Região (Brasília) e ao pedido de prisão feito pela Procuradoria Regional da República da 1ª Região.

No último dia 12, o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Ayres Britto havia negado um pedido de habeas corpus preventivo impetrado pelo advogado. O ministro considerou que não havia elementos suficientes para concluir que o Ministério Público estava prestes a pedir a prisão do casal.

Os advogados dos Guerner haviam impetrado o HC em fevereiro último. Agora eles vão recorrer da ordem de prisão.

ENTENDA O CASO

Deborah Guerner e o ex-chefe do Ministério Público do DF Leonardo Bandarra são suspeitos de passar informações privilegiadas a integrantes do antigo governo do Distrito Federal e de terem extorquido o ex-governador José Roberto Arruda, investigado por ser o suposto chefe do esquema de corrupção.

No começo do ano passado, Arruda foi preso e perdeu o cargo depois que as denúncias vieram a público.

Em dezembro, ela e Bandarra foram afastados por 120 dias pelo CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público). O afastamento terminou na semana passada.

Eles respondem a processo administrativo no conselho. No começo do mês, Luiz Moreira, que é relator do caso no CNMP, pediu a demissão deles.

Na avaliação do relator, eles devem ser demitidos por "violação do sigilo profissional com a solicitação e obtenção de recompensa" e a "exigência de pecúnia".

O julgamento foi paralisado por um pedido de vista do conselheiro Achiles Siquara e deve ser retomado no dia 17 de maio.

O CNMP não tem poderes para demitir os acusados. O pedido será encaminhado para a Procuradoria-Geral da República, que poderá entrar com ação na Justiça para demiti-los.

Durante a sessão, Deborah Guerner criticou aos gritos a apuração.

"Onde estão os políticos? Cadê a denúncia do mensalão do DEM", gritou, de forma audível a quem estava do lado de fora da sala em que a sessão ocorria.

Antes de deixar o conselho, Deborah disse que não havia nada contra ela. "Tudo é baseado na palavra de dois bandidos."

Os advogados dos acusados dizem que os depoimentos não foram contemplados na íntegra pelo relator. Eles também negam ter recebido propina do esquema.

Clique aqui  e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

zedopovo 21/04/2011

É só começar a abrir a caixa preta do Ministério Público que tem muita gente aí falando grosso mas na verdade....gosta de um dindim, não é o slgoam do MP " Onde tem o Ministério Público não tem Mistério"?? rsrsrs ....nós somos otários mesmo...

1 comentários

1 de 1

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros