Artigos Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2011, 19:30 - A | A

Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2011, 19h:30 - A | A

Carta Aberta ao Dr. Rubinho

Vamos lá doutor Rubens! Seja mais “Rubinho” e menos “Rubão”. Larga mão desse processo, pois ainda que seja o vencedor desta contenda, será uma vitória de Pirro. Pois até chegar o dia dela, vais sangrar cotidianamente, sendo lembrado como autoritário

ADEMAR ADAMS

 

Divulgação

 

Desembargador Rubens de Oliveira:

O grande Raul Seixas disse que preferia “ser uma metamorfose ambulante, do que ter a velha opinião formada sobre tudo e todos”. Mas, uma coisa é ser flexível e mudar de opinião, outra é rasgar o passado, apenas para acomodar a boa vida quando se chegou lá em cima.

Faço este intróito desembargador Rubens de Oliveira, para dizer que o senhor mudou muito nos últimos tempos. E pra pior, pois, este processo contra o jornalista Enock Cavalcanti, é um ato típico de quem não aceita crítica. Desse jeito, chego a pensar que o senhor no comando de uma Espanha falangista, também iria mandar matar Garcia Lorca.

E é aí que vejo o quanto os nossos caminhos tomaram rumos diversos após aqueles memoráveis tempos do começo da década de 1980, quando juntos ombreávamos as fileiras trabalhistas. Aquele tempo de sonhos, de um Brasil democrático e fraterno, foi morrendo com tranqueiras como Sarney, embusteiros como o Collor e boçais como FHC. Mas os ideais, estes só devem morrer com a gente. Na glória ou na desgraça, o ideal deve ser o timoneiro de nossos atos.

Processar um jornalista da trincheira democrático-popular como o Enock, por uma crítica um pouco mais aguda, atirada na defesa de gente que ganha vinte vezes menos que um desembargador, convenhamos ... é falta de espírito público para ter mando num regime republicano.

O seu pavio curto, a gente conhece bem. Na sua presidência frente ao TRE/MT tivemos um affaire, onde pude sentir sua têmpera. Lembra-se do episódio?

Agora, no Tribunal de Justiça, mesmo com dois ofícios pedindo uma audiência cordial, praticamente de paparicos, que a Ong Moral faz com autoridades para abrir espaço para o diálogo, “vossa excelência” fez ouvidos moucos. Chego a considerar uma desfeita para com um ex-camarada, que tendo permanecido na trincheira de luta, jamais fez um agravo ao trânsfuga, se contendo, em homenagem àqueles tempos idos.

Se entender que o epíteto de pinocchio não cabia a um presidente de Tribunal, devias ter mais cuidado nas conversas e nas propostas que faz diretamente ou por interpostos, para não se parecer de fato com o personagem do florentino, que, por acaso, também era jornalista.

Além do mais, um telefonema ao jornalista Enock poderia desanuviar o ambiente, mas aí deverias descer do pedestal, calçar as sandálias da humildade, coisa que o grande Rubens de Oliveira dos Santos Filho, não faz. Aliás, não faz como faria o velho “Rubinho de Guerra” de trinta anos atrás.

Vamos lá doutor Rubens! Seja mais “Rubinho” e menos “Rubão”. Larga mão desse processo, pois, ainda que seja o vencedor desta contenda, será uma vitória de Pirro. Pois até chegar o dia dela, vais sangrar cotidianamente, sendo sempre lembrado como aquela pessoa autoritária, que não aceita crítica, como um ferrabrás deslocado no tempo.

Seja mais Brizola e menos generalíssimo Franco, mais trabalhista e menos udenista. Enock Cavalcanti é um guerreiro, que nesta quadra da vida está a merecer reverências, jamais baionetas!

Fraternalmente, Ademar Adams.

(*) ADEMAR ADAMS é jornalista e servidor da Justiça do Trabalho.

Os artigos assinados são de responsabilidade dos autores e não refletem necessariamente a opinião do site de notícias www.hnt.com.br

 

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Jorge Estevão 10/12/2011

Fiquei espantado com a soberba do sr. desembargador. Seria mais inteligente ele manter diálogo com quem o critica.

elizete oliveira 10/12/2011

Sr. Ademar.. Gostaria de deixar registrado a minha admiração pela sua coragem. Viva a liberdade de expressão. Ditadura já era. Se fosse assim, Diogo Mainardi que faz criticas ferrenhas ao Lula, já estava atrás das grades "olha que estou falando do então presidente da Republica. "Sem contar José Simao e muitos outros jornalistas por ai. Pessoas que se cha o dono do mundo, não sabe ouvir uma critica, afinal não agradamos a todo mundo mesmo ... Más estamos no Mato Grosso onde quem manda são os presidentes dos três poderes. e o governador deixa um secretário deitar e rolar em seu governo... como diz o jornalista "isto é uma vergonha!!.

2 comentários

1 de 1

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros