Segunda-Feira, 21 de Setembro de 2020, 13h:30

Tamanho do texto A - A+

21 de Setembro, Dia Mundial do Alzheimer

Por: LUIZ GUSTAVO CASTRO MARQUES

REPRODUÇÃO

LUIZ GUSTAVO MARQUES

O dia 21 setembro é o dia mundial do Alzheimer que é um transtorno neurodegenerativo progressivo que  faz com que haja a deterioração cognitiva e da memória, comprometendo as atividades de vida diária e provocando alterações comportamentais.  A data foi instituída pela Associação Internacional do Alzheimer (ADI), como o Dia Mundial da Doença de Alzheimer. A doença do córtex cerebral foi apresentada em 1906 pelo psiquiatra alemão Aloysius Alzheimer (1864-1915) durante um congresso científico na Alemanha.

O diagnóstico é clínico e feito através de entrevista onde o paciente responde a questões como história de vida, clínica, familiar, idade, escolaridade), teste cognitivo (miniexame do estado mental, teste do relógio, teste de fluência verbal), e posteriormente por meio de exames laboratoriais (hemograma completo, hormônios tireoidianos, enzimas hepáticas) e de imagem (tomografia, ressonância magnética).

Sabemos que a doença de Alzheimer pode demorar a ser diagnosticada, visto os  sintomas como perda de memória e raciocínio lento, podem ser interpretados pela família como ‘caduquice’ por se ter uma idade acima de 65 anos que é quando ela se manifesta.

Segundo a OMS, mais de 1.2 milhão de pessoas têm a doença  no Brasil e 50 milhões de pessoas em todo o mundo.

SINTOMAS:

Problema de memória afetando as atividades e o trabalho;

 Dificuldade para realizar tarefas habituais;

Dificuldade para falar;

Desorientação no tempo e no espaço;

Diminuição da capacidade de juízo e de crítica;

Dificuldade de raciocínio;

Colocar coisas no lugar errado;

Alterações freqüentes do humor e do comportamento;

Mudanças na personalidade;

Perda da iniciativa para fazer as coisas.

03 FASES DO ALZHEIMER:

Leve: onde acontecem as falhas de memória e esquecimentos constantes; dificuldades em realizar tarefas rotineiras como mexer com contas e finanças

Moderado: dificuldade para desempenhar atividades simples e diárias como se vestir.

Avançado: o paciente passa a depender totalmente para realizar qualquer atividade como por exemplo, comer, tomar banho, cuidar de sua higiene entre outras.

TRATAMENTO

Sabemos que por enquanto por se tratar de uma doença degenerativa não tem cura, mas a doença pode ser tratada para dar mais qualidade de vida para esse paciente com medicamentos, reabilitação cognitva, terapia ocupacional, controle de pressão alta, diabetes e colesterol, além de atividade física regular.

Vale lembrar que o idoso deve passar por consulta  médica regularmente. Quando mais cedo for diagnosticado com Alzheimer, mais cedo começa ser tratado.

 

(*) LUIZ GUSTAVO CASTRO MARQUES é médico geriatra CRM-MT 3696. 

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei

Leia mais sobre este assunto