Mundo Terça-feira, 04 de Outubro de 2011, 17:14 - A | A

Terça-feira, 04 de Outubro de 2011, 17h:14 - A | A

POLÊMICA

Nos EUA, Obama acusa republicanos de defender milionários

As defesas se referem as reduções de impostos aos mais ricos

FOLHA DE SÃO PAULO

O presidente americano, Barack Obama, acusou nesta terça-feira seus adversários republicanos de defender as reduções de impostos aos mais ricos em detrimento do plano de estímulo que ele quer que seja aprovado pelo Congresso.

Dirigindo-se a seus partidários perto de Dallas, capital do Texas, Obama atacou diretamente o chefe da maioria republicana na Câmara dos Representantes, Eric Cantor, que considerou como "morto" o plano para o mercado de trabalho anunciado pelo presidente.

"Nem sequer querem submetê-lo a votação", queixou-se Obama, segundo trechos do discurso divulgados antecipadamente.

"Gostaria que o senhor Cantor viesse aqui, em Dallas, e explicasse quais são os aspectos deste plano para o emprego nos quais ele não acredita", disse Obama.

"Não acredita na reconstrução das estradas e das pontes dos Estados Unidos? Não acredita nos cortes de impostos para as pequenas empresas, ou nos esforços para ajudar os veteranos?", questionou.

"Venha, diga aos pequenos empresários e aos trabalhadores desta região por que prefere defender os cortes de impostos para os milionários antes dos cortes de impostos para a classe média", afirmou o presidente.

PRESSÃO

Obama exigiu nesta segunda-feira que o Congresso vote seu plano de emprego de US$ 447 bilhões antes do fim do mês. Cantor se disse disposto a aceitar algumas disposições, mas não as que preveem aumentar os impostos aos mais ricos.

No Senado, de maioria democrata, Obama também não está certo de que seu plano será aprovado.

O presidente reconheceu na segunda-feira que não é favorito para a eleição presidencial em 2012. Segundo uma nova pesquisa encomendada pelo jornal "The Washington Post" e a emissora de TV ABC News, o índice de aprovação do presidente caiu para 42% e o de desaprovação subiu para 54%, um novo recorde.

Apenas 37% dos entrevistados disseram acreditar que Obama não será reeleito, uma porcentagem que os analistas consideram preocupante, já que as expectativas podem afundar o entusiasmo por um candidato.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros