Domingo, 16 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,38
euro R$ 5,76
libra R$ 5,76

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,38
euro R$ 5,76
libra R$ 5,76

Mundo Sábado, 18 de Maio de 2024, 16:00 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Sábado, 18 de Maio de 2024, 16h:00 - A | A

REFUGIADOS

Mais de 800 mil palestinos já fugiram de Rafah desde o início das operações de Israel

Os refugiados estão ocupando prédios em ruínas após abandonarem as próprias casas por orientação das ordens de evacuação

CONTEÚDO ESTADÃO
da Redação

A Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNRWA) informou neste sábado, 18, que mais de 800 mil palestinos já fugiram de Rafah, cidade do sul de Gaza, desde o início das operações militares de Israel na região. O montante equivale a cerca de metade da população que morava na cidade.

De acordo com a agência, os palestinos se dirigiram, principalmente, para áreas próximas da cidade vizinha de Khan Younis, a maior do sul de Gaza, onde Israel fez intensas operações em meados de dezembro.

Conforme o órgão, os refugiados estão ocupando prédios em ruínas após abandonarem as próprias casas por orientação das ordens de evacuação que eles receberam. A agência acrescenta que os palestinos têm sido forçados a fugir várias vezes em busca de uma suposta segurança que não encontram, tendo inclusive já ocupado os abrigos da UNRWA.

"Quando as pessoas se movem, elas ficam expostas, sem passagem segura ou proteção. Toda vez, elas são forçadas a deixar para trás os poucos pertences e suprimentos básicos que não podem transportar", informou a agência.

Ainda em comunicado, o órgão disse que as áreas para as quais as pessoas estão fugindo agora não têm suprimentos seguros de água ou instalações de saneamento.

(Com Agência Estado)

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros