Sexta-feira, 17 de Maio de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,13
euro R$ 5,58
libra R$ 5,58

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,13
euro R$ 5,58
libra R$ 5,58

Justiça Quinta-feira, 13 de Outubro de 2016, 17:19 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Quinta-feira, 13 de Outubro de 2016, 17h:19 - A | A

SODOMA

Juíza nega acareação de delator e marca reinterrogatórios de Silval, Silvio e Cursi

JESSICA BACHEGA

O ex-governador Silval Barbosa (PMDB), o ex-secretário da Fazenda, Marcel de Cursi, e o ex-chefe de Gabinete, Sivio Correa da Costa, serão interrogados novamente pela juíza da Sétima Vara Criminal, Selma Arruda, sobre a Operação Sodoma.

 

A magistrada deferiu o pedido das defesas dos réus em decisão publicada no Diário de Justiça Eletrônico (DJE) desta quinta-feira (13).

 

Alan Cosme/HiperNoticias

juiza selma arruma

 Juiza Selma Rosane, da Sétima Vara Criminal

Conforme a decisão, a juíza atendeu ao pedido da defesa dos réus levando em conta o direito a constitucional ao contraditório, uma vez que a solicitação foi realizada após novo depoimento do ex-secretário Pedro Nadaf, também réu na ação, que fez mais revelações sobre o processo.

 

“Defiro o reinterrogatório do acusado Silval da Cunha Barbosa, haja vista que o seu direito constitucional ao contraditório deve ser preservado durante todo o processo, mormente quando o último interrogatório do acusado Pedro Jamil Nadaf, trouxe referências à sua pessoa”, diz um trecho do despacho.

 

Consta na ação que o interrogatório de Silvio foi designado para o dia 21 de outubro, Marcel de Cursi será ouvido no dia 25 e o ex-governador terá seu interrogatório no dia 4 de novembro, todos às 9h30.

 

Na decisão, a magistrada nega pedidos de novas diligências aos advogados e de acareação entre o depoimento do delator João batista Rosa, empresário dono da Tractor Parts, que afirmou ter pago cerca de R$ 2,5 milhões em propina para o então secretário Pedro Nadaf, a fim de garantir acesso a incentivos fiscais e o ex-secretário Pedro Nadaf e Marcel de Cursi.

 

“No caso dos autos é totalmente compreensível e justificável o conflito entre as declarações de Pedro Jamil Nadaf e João Batista Rosa, porquanto, estão em situações antagônicas no processo, e é inerente à natureza humana expor os fatos criminosos do modo como melhor aprouver a cada um”, diz a juíza.

 

Operação Sodoma

 

É alvo de investigações do Ministério Público Estadual (MPE) suposta organização criminosa chefiada pelo ex-governador e integrado por ex-secretários, que atuavam na cobrança de propina de empresários em troca do oferecimento de incentivos fiscais e manutenção de contratos com o Estado. 

 

O dinheiro angariado com a cobrança era utilizado para o pagamento de dívidas de campanha, compra de bens e dividido entre os membros do grupo.

 

Segundo a apuração, as cobranças ocorreram durante toda a gestão de Silval Barbosa, que em suas oitivas negou qualquer envolvimento em atos ilícitos.

 

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros