Sexta-feira, 19 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,58
euro R$ 6,09
libra R$ 6,09

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,58
euro R$ 6,09
libra R$ 6,09

Economia Segunda-feira, 10 de Junho de 2024, 20:00 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Segunda-feira, 10 de Junho de 2024, 20h:00 - A | A

Limitação de PIS/Cofins: Abitrigo pede que Congresso promova o cancelamento da MP

CONTEÚDO ESTADÃO
da Redação

A Associação Brasileira da Indústria do Trigo (Abitrigo) divulgou posicionamento contrário à Medida Provisória (MP) 1.227, que promove restrições ao ressarcimento e à compensação dos saldos credores acumulados do PIS e da Cofins, alegando encarecimento do produto. A entidade pede que o Congresso promova o cancelamento da medida.

A Abitrigo representa 80% da produção nacional de farinhas e argumenta que a MP tornará o trigo brasileiro mais caro " e, consequentemente, as farinhas e os produtos derivados". "A Abitrigo posiciona-se firmemente contrária a esta Medida Provisória e solicita ao Congresso Federal que promova o seu cancelamento. A manutenção desta medida pode resultar em prejuízos para toda a sociedade brasileira, afetando trabalhadores, empresas e consumidores", pontua a entidade em nota.

A limitação da compensação de créditos de PIS e Cofins foi a escolha da equipe econômica para bancar a desoneração da folha de pagamentos. A Receita Federal calcula que serão necessários R$ 26,3 bilhões para restituir a perda arrecadatória com a prorrogação da desoneração - R$ 15,8 bilhões compensam o benefício concedido aos 17 setores da economia e os outros R$ 10,5 bilhões bancam a mudança na tributação das prefeituras. A limitação do PIS/Cofins pode render até R$ 29,2 bilhões aos cofres públicos.

(Com Agência Estado)

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

 

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros