Economia Terça-feira, 29 de Novembro de 2011, 14:27 - A | A

Terça-feira, 29 de Novembro de 2011, 14h:27 - A | A

AVIAÇÃO

Check-in compartilhado nos aeroportos começa a partir de fevereiro

Medida visa reduzir filas e tempo de embarque em horários de pico; escolha dos aeroportos é decisão da Infraero

DA FOLHA DE SÃO PAULO

Os balcões de check-in compartilhados entre as companhias aéreas, medidas que visa a redução de filas e o tempo de embarque em horários de pico, devem começar a funcionar a partir de fevereiro do ano que vem, segundo divulgou a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil).

Resolução da agência publicada ontem no "Diário Oficial da União" determina que, nos aeroportos onde a Infraero identificar a necessidade de compartilhamento de guichês, as empresas terão 30 dias para montar um comitê de gerenciamento, com proposta de modelo de uso, cronograma e regras.

Mayke Toscano/Hipernotícias

De acordo com a nova resolução da Anac, guichês ociosos de uma companhia poderão ser utilizados pela outra

As companhias terão mais 30 dias para detalharem como funcionará a logística do check-in compartilhado. Ou seja, se a estatal que administra os principais aeroportos se manifestar hoje, o prazo mínimo para início do funcionamento do sistema é fevereiro.

Hoje, cada empresa tem sua área de check-in definida. Com a mudança, nos períodos de maior movimento, um balcão ocioso da TAM, por exemplo, poderá ser usado pela Gol, ou vice-versa.

O compartilhamento inclui totens de autoatendimento, expediente que já é usado na Europa, EUA, Canadá e Austrália. O uso de balcões compartilhados foi uma das sugestões para melhorar o atendimento nos aeroportos feita em 2010 pela consultoria McKinsey, contratada pelo BNDES para diagnosticar o setor aéreo no Brasil.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

 

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros