Cidades Domingo, 14 de Agosto de 2011, 13:03 - A | A

Domingo, 14 de Agosto de 2011, 13h:03 - A | A

INVESTIGAÇÃO

Central de Inteligência da PM descobre plano de fuga em massa na penitenciára de Cuiabá

Agentes encontraram em uma quitinete, no bairro ao lado da PCE, um túnel que daria para chegar ao raio 5, onde estão os presos mais perigosos de Mato Grosso

DA REDAÇÃO

Arquivo

Investigação sobre a fuga em massa começou há cerca de três meses, conforme informações da Central de Inteligência da Polícia Militar

O Serviço de Inteligência descobriu um plano de fuga em massa na Penitenciária Central do Estado (antigo presídio Pascoal Ramos), em Cuiabá. Na manhã deste domingo (14), policiais entraram numa quitinete no bairro Jardim Industriário - ao lado da unidade de segurança -, onde foi encontrado um buraco com um metro de profundidade, que era o início de um túnel com cerca de 80 metros. Até o momento ninguém foi preso.

O túnel daria acesso ao raio 5, onde, segundo a PM, estão presos os homens mais perigosos de Mato Grosso. São traficantes, latrocidas (aqueles que matam para roubar), estupradores e assaltantes de bancos. Lá estão encarceradas cerca de 250 pessoas.

Segundo o chefe de operações da Agência Central de Inteligência (oficial que pediu para não ter o nome divulgado), há três meses o setor recebeu a informação de que haveria uma fuga em massa, por meio de um túnel. A partir dai começaram as investigações em locais perto da penitenciária, como o bairro Jardim Industriário, por exemplo.

Moradores recém-chegados e com contrato de locação começaram a ser monitorados. Às 9 horas deste domingo, agentes da Central entraram com mandado de busca e apreensão em uma quitinete, no lado oposto ao muro da PCE.

Lá, os agentes acharam um buraco de partiria o túnel. No local não havia pessoas, e segundo a dona da quitinete, um casal alugou o imóvel há cerca de três meses. Foram encontrados equipamentos para escavação e móveis, que remetem à possibilidade de permanência por muito tempo do casal.

Até o momento a Central de Inteligência não divulgou nomes dos suspeitos. “Também, por enquanto, não temos como identifica-los porque o contrato de locação do imóvel não foi encontrado”, disse um oficial.

HISTÓRICO

Em julho deste ano houve um princípio de rebelião para dar fuga a presos. A Polícia Militar reprimiu e um preso e outro agente penitenciário foram mortos com tiros.


Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros