Sábado, 18 de Maio de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,11
euro R$ 5,55
libra R$ 5,55

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,11
euro R$ 5,55
libra R$ 5,55

Brasil Quarta-feira, 15 de Maio de 2024, 22:00 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Quarta-feira, 15 de Maio de 2024, 22h:00 - A | A

Polícia prende 2 suspeitos de matar idoso de 88 anos espancado em assalto a casa

CONTEÚDO ESTADÃO
da Redação

A Polícia Civil prendeu em flagrante no fim da tarde desta quarta-feira, 15, dois suspeitos de participar de um assalto a residência que resultou na morte de um idoso de 88 anos na região do Sacomã, na zona sul de São Paulo. O crime ocorreu durante esta madrugada. Outras três pessoas são procuradas.

João Masahiro Kanashiro estava em casa com a esposa quando cinco criminosos encapuzados invadiram a residência e amarraram o casal enquanto reuniam objetos de valor, como joias e celulares. Segundo as investigações, o idoso foi espancado ao tentar gritar por socorro. Ele não resistiu aos ferimentos.

Os dois suspeitos presos são um homem de 26 anos e um adolescente, de 17, este último com passagem recente pela Fundação Casa. "O menor de idade já havia sido preso também pelo crime de latrocínio", disse ao Estadão o delegado Flávio Lousano, titular da 2ª Central Especializada de Repressão a Crimes e Ocorrências Diversas (Cerco).

O caso mais antigo em que o adolescente se envolveu, afirmou o delegado, ocorreu no começo do ano passado, também na zona sul. "Ele ficou internado por cerca de um ano e acabou sendo colocado em liberdade assistida no começo deste ano", disse. A ocorrência foi similar à da madrugada desta quarta.

"Foi uma invasão a residência e, no momento da subtração, eles (criminosos que agiram na época) também praticaram a morte de uma pessoa", afirmou Lousano. Ainda não se sabe se há relação entre os dois grupos, mas a hipótese da Polícia Civil é de que a quadrilha que agiu nesta quarta é focado em invasão a residências.

Entenda o caso

As investigações indicam que, logo no começo desta madrugada, alguns dos criminosos se aproximaram da casa de João, na Rua Nagib Tanus Gastin, no Jardim Botucatu, para primeiro observar características da fechadura da porta. Voltaram encapuzados momentos depois, por volta de 1h, já em cinco pessoas.

"Então, eles pulam o muro e, já dentro da residência, arrombam a porta para entrar no imóvel", disse Lousano. Segundo ele, o casal foi surpreendido quando estava dormindo. "Eles acordaram no susto, já com os cinco indivíduos dentro da casa."

Durante a ação, a quadrilha amarrou o casal e ficou cerca de duas horas dentro da casa. "O senhor acabou ficando nervoso com a situação, começou a gritar e eles acabaram o agredindo", disse o delegado. João não resistiu aos ferimentos.

A polícia afirma que perícia ainda vai determinar a causa da morte, mas diz que não há indícios de que o grupo tenha usado armas de fogo ou facas. Os golpes desferidos teriam sido socos e chutes. Ainda não há informações se os dois suspeitos presos foram os responsáveis diretos pelas agressões.

O assalto resultou em prejuízo de cerca de R$ 20 mil, segundo estimativa da polícia. "Levaram dinheiro em espécie, celulares, joias e enfeites", disse Lousano. No fim, um desses objetos foi importante para a prisão dos suspeitos, já que foi localizado com um deles, segundo Lousano.

A Polícia Civil continua a realizar investigações na tentativa de localizar os outros três suspeitos e determinar o papel de cada um no latrocínio. O caso está sendo apurado pelo 26º Distrito Policial (Sacomã), que prontamente solicitou assessoramento ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Como mostrou o Estadão recentemente, Estado de São Paulo registrou aumento de latrocínios no 1º trimestre deste ano, segundo dados da Secretaria da Segurança Pública (SSP). Foram 37 vítimas desse tipo de crime de janeiro a março do ano passado. No mesmo período de 2024, foram 46, uma alta de 24,3%.

Questionada sobre a alta no fim do mês passado, a SSP afirmou se manter "atenta à variação dos índices criminais, com especial atenção aos crimes contra a vida, como homicídios e latrocínios". "No primeiro trimestre deste ano, 21 autores destes delitos foram presos no Estado. Todas as ocorrências são analisadas pelo SP Vida, ferramenta que auxilia na criação de medidas para combater esses delitos", disse.

(Com Agência Estado)

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros