Quinta-feira, 18 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,48
euro R$ 6,00
libra R$ 6,00

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,48
euro R$ 6,00
libra R$ 6,00

Brasil Terça-feira, 19 de Março de 2024, 15:30 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Terça-feira, 19 de Março de 2024, 15h:30 - A | A

Gilmar sobre ação da PF contra Bolsonaro: 'Raramente tivemos avanços tão significativos'

CONTEÚDO ESTADÃO
da Redação

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse nesta terça-feira, 19, que os elementos colhidos pela Polícia Federal na investigação que apura uma suposta articulação golpista no entorno do então presidente Jair Bolsonaro são "muito convincentes". Para o ministro, as provas indicam que "de fato algo de muito ruim estava em marcha".

Gilmar e os outros dez ministros do STF serão responsáveis por julgar Bolsonaro se a Procuradoria-Geral da República (PGR) formalizar a denúncia criminal contra o ex-presidente.

"Eu, como observador da cena há muito tempo, raramente a gente teve avanços tão significativos. Saímos de especulações para provas. Assistindo àquilo que vocês têm divulgado, mais do que as coisas que leio no próprio tribunal, a propósito daquela reunião com os ministros em que os ministros militares falaram, Augusto Heleno do GSI, Paulo Sérgio da Defesa, fico admirado com os dados que a Polícia Federal conseguiu obter. São de fato muito convincentes de que algo de muito ruim estava em marcha", afirmou durante sua participação num evento em Brasília nesta terça-feira, 19.

Gilmar Mendes se refere à reunião filmada pelo Palácio do Planalto em julho de 2022 com a presença de Bolsonaro e diversos de seus ministros. No encontro, o então presidente afirmou que "não podemos deixar chegar as eleições e acontecer o que está pintado".

O general Augusto Heleno, chefe do Gabinete de Segurança Institucional à época, afirmou que a Abin iria "montar um esquema para acompanhar o que os dois lados estão fazendo". O próprio Bolsonaro pediu para seu ministro interromper sua fala neste momento e pediu que o assunto fosse discutido em particular para não ser vazado.

Já o então ministro da Defesa, Paulo Sérgio, afirmou que "a comissão eleitoral, organizada pelo TSE é para inglês ver". Disse, ainda, que se sentia "na linha de contato com o inimigo".

(Com Agência Estado)

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros