Quarta-Feira, 03 de Junho de 2020, 20h:27

Tamanho do texto A - A+

Presidente da Fapemat, Adriano Silva morre em Cuiabá com suspeita de coronavírus

Por: DA REPORTAGEM

Alan Cosme/HiperNoticias

adriano silva

 

O presidente da FAPEMAT (Fundação de Apoio a Pesquisa de Mato Grosso) e suplente de deputado federal, Professor Adriano Silva (DEM), não resistiu às complicações pulmonares e faleceu no início da noite desta quarta-feira (03), assim que chegou ao Hospital Femina, em Cuiabá, para onde foi transferido por UTI aérea no final da tarde de hoje, depois de ficar internado no Hospital São Luiz, em Cáceres, desde domingo passado com suspeita de ter contraído a Covid-19. A morte foi confirmada por sua assessoria. O Governo do Estado chegou a publicar nota às 19h45 confirmando a transferência de Adriano, mas sustentando que seu quadro era estável.

Um áudio de uma pessoa identificada como sobrinho de Adriano que circula em grupos de WhatsApp informou que Adriano sofreu quatro paradas cardíacas e não resistiu.

"Muito obrigado pela oração  de vocês, mas infelizmente meu tio acaba de falecer. Ele teve quatro paradas cardíacas. Em uma ele ficou 15 minutos morto mas voltou. Ele cansou. Essa doença venceu", desabafou o sobrinho.

Natural de Cáceres, Adriano Silva faria 50 anos no dia 12 de outubro próximo. Ele foi reitor da Universidade Estadual de Mato Grosso e deputado estadual. Ele era casado e pai de três filhos.

Até o final do dia ainda não havia confirmação de que Adriano havia contraído a Covid-19. Em postagem nas suas redes socias nesta tarde, foi informado que ele teve um comprometimento pulmonar, por isso foi entubado e seria transferido para Cuiabá porque em Cáceres não havia leito de UTI disponível.

Atualização às 21h00: Em nota oficial publicada às 20h47, o Governo do Estado confirma o falecimento, e informa que ainda não há resultado para os testes que Adriano fez para poder determinar se estava com a Covid. O governador Mauro Mendes e a primeira-dama, Virginia Mendes,  "lamentam profundamente o falecimento do amigo e gestor e prestam condolências aos familiares".

Chama a atenção na nota do Governo a afirmação de que Adriano estava internado num leito de UTI em Cáceres. Isso contraria  o que disse a família, nas redes sociais na tarde desta quarta-feira, de que ele teria de ser transferido para Cuiaba exatamente "pela falta de leitos de UTI disponíveis e nossa cidade".

Mais informaçes em instantes.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei - 1