Sexta-Feira, 21 de Fevereiro de 2020, 12h:03

Tamanho do texto A - A+

Conselheiro afastado do TCE nega delação e classifica informação como "leviana e covarde"

Por: WELLYNGTON SOUZA

O conselheiro afastado do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT), Sérgio Ricardo, negou nesta sexta-feira (21), por meio de nota, que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) homologou sua delação premiada e classificou a informação como "covarde e leviana". A suposta homologação foi publicada pelo Jornal A Gazeta na edição desta sexta.

Mayke Toscano/Hipernoticias

posse no tce/sérgio ricardo

 

“A defesa do Conselheiro Sérgio Ricardo, representada pelo escritório Saulo Gahyva Advogados, vem a público negar veemente as informações recentemente divulgadas pela imprensa, sugerindo que o conselheiro tenha firmado delação premiada. A informação é covarde e leviana”, diz trecho da nota.

“Infelizmente, a colaboração premiada se tornou um instrumento por meio do qual contumazes praticantes de atos ilícitos tentam se eximir da responsabilidade penal, imputando crimes à terceiros, ainda que estes não tenham qualquer participação”. 

Em 2017, o juiz Luís Aparecido Bortolussi Júnior, da Vara Especializada em Ação Civil Pública e Ação Popular, determinou o afastamento imediato do conselheiro Sérgio Ricardo de Almeida, acusado de compra de uma vaga no TCE. O magistrado também decretou o bloqueio de bens no valor de R$ 4 milhões dele e de outros réus, entre eles o ex-governador Blairo Maggi.

“Nas duas ações penais que figura como réu, Sérgio Ricardo é vítima de alegações criminosas, lançadas de forma temerária, sem nenhum amparo probatório. Ao longo de sua trajetória como Deputado Estadual e Conselheiro do Tribunal de Contas de Mato Grosso não participou ou coadunou com qualquer ato ilícito, sempre prezando pelo estrito cumprimento da lei e a máxima eficiência”, destaca.

“Sérgio Ricardo prosseguirá exercendo firmemente o seu direito de defesa em todas as instâncias judiciais, com plena confiança no Poder Judiciário, e informa que buscará a responsabilização civil e criminal dos responsáveis pela divulgação dessa informação mentirosa”, finaliza. 

Confira nota na íntegra:

"A defesa do Conselheiro Sérgio Ricardo, representada pelo escritório Saulo Gahyva Advogados, vem a público negar veemente as informações recentemente divulgadas pela imprensa, sugerindo que o Conselheiro tenha firmado delação premiada.

A informação é covarde e leviana.

Infelizmente, a colaboração premiada se tornou um instrumento por meio do qual contumazes praticantes de atos ilícitos tentam se eximir da responsabilidade penal, imputando crimes à terceiros, ainda que estes não tenham qualquer participação.

Nas duas ações penais que figura como réu, Sérgio Ricardo é vítima de alegações criminosas, lançadas de forma temerária, sem nenhum amparo probatório.

Ao longo de sua trajetória como Deputado Estadual e Conselheiro do Tribunal de Contas de Mato Grosso não participou ou coadunou com qualquer ato ilícito, sempre prezando pelo estrito cumprimento da lei e a máxima eficiência.

Sérgio Ricardo prosseguirá exercendo firmemente o seu direito de defesa em todas as instâncias judiciais, com plena confiança no Poder Judiciário, e informa que buscará a responsabilização civil e criminal dos responsáveis pela divulgação dessa informação mentirosa."

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei



1 Comentários

Felipe - 21/02/2020

Delação é sinônimo de culpabilidade, deixar de acordar é trazer para si admissão de culpa. Sérgio Ricardo! faça essa delação, vai sair no lucro se não vejamos: vai perder uma boa parte de seu patrimônio, o emprego sem salário, alguns dólares, alguns milhões de reais, vai usar uma tornozeleira e o mais legal disso é que será condenado, mais em liberdade assistida. Melhor que isso? só sendo muito burro em não aceitar.

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA