Quinta-Feira, 22 de Março de 2018, 08h:20

Tamanho do texto A - A+

Sargento é assassinado pelo atual namorado da ex

Por: LUIS VINICIUS

O sargento da Polícia Militar, José Carlos Camelo, de 44 anos, foi assassinado com aproximadamente quatro tiros, após invadir a casa da sua ex-companheira, na noite de quarta-feira (21), no bairro Marajoara, em Várzea Grande. O crime teria sido cometido por um soldado da corporação, identificado apenas como, B.F. O atirador é o atual companheiro da ex-mulher da vítima e teria cometido o crime após uma discussão com Camelo, que estava enciumado.

 

HiperNoticias

jose carlos PM morto

Sargento José Carlos foi assassinado com quatro tiros

A vítima, segundo informações, não aceitava o término do relacionamento com a ex-companheira. Na noite de quarta-feira, o sargento teria percebido que a sua ex-mulher estaria com um novo companheiro, pulou o muro da casa, arrombou a porta da residência e se deparou com a ex-esposa e o soldado da Polícia Militar.

 

Indignado, o sargento teria iniciado uma discussão com o soldado e durante o desentendimento, B.F, sacou uma pistola e atirou quatro vezes na vítima. Os tiros teriam acertado a região do tórax do sargento. Segundo informações de policiais do 4º Batalhão, o atirador não sabia que o rival era da Polícia Militar.

 

Após o crime, B.F, fugiu do local levando a arma utilizada no crime. Já a ex-mulher de José, que presenciou todo o crime, acionou uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). No entanto, quando os socorristas chegaram ao local do crime, José não havia resistido aos ferimentos e morrido.

 

A Polícia Militar também foi acionada e a pivô do crime afirmou que o sargento não aceitava a separação e teria discutido com o soldado após flagrar o casal.

 

Os militares saíram em buscas pela região, mas até a publicação da matéria, B.F, não havia sido localizado.

 

O corpo do sargento foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) para exames de necropsia. O caso será investigado pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

 

Uma sindicância deve ser aberta na Corregedoria da PM para investigar a atitude do policial que atirou e matou o sargento. 

 

Avalie esta matéria: Gostei +8 | Não gostei - 8

Leia mais sobre este assunto








Mais Comentadas