Mundo Terça-feira, 29 de Novembro de 2011, 17:37 - A | A

Terça-feira, 29 de Novembro de 2011, 17h:37 - A | A

TENSÃO NUCLEAR

Reino Unido diz que haverá consequências para invasão

Protesto ocorre após o Irã aprovar a redução dos laços diplomáticos com o Reino Unido para o nível mínimo

DA FOLHA DE SÃO PAULO

Após invadirem por três vezes a Embaixada do Reino Unido em Teerã nesta terça-feira, estudantes foram forçados pela polícia a deixar o local em meio aos protestos contra as novas sanções à República Islâmica aprovadas por Londres. O chanceler britânico, William Hague, disse que o ataque é inaceitável e que o país enfrentará sérias consequências.

Segundo vários meios de comunicação iranianos, a situação na área da embaixada britânica, situada no norte da capital iraniana, se normalizou por volta das 20h15 locais (14h45 de Brasília), quando os agentes investiram contra os estudantes, que haviam iniciado sua concentração em frente à representação diplomática às 14h (8h30 de Brasília).

A agência de notícias semioficial iraniana Fars disse que o vice-chefe da polícia de Teerã, o general Ahmad Reza Radan, ordenou a ação após dar um ultimato aos manifestantes.

A agência diz ainda que todos os diplomatas e funcionários da delegação, que chegaram a ser mantidos como reféns, foram libertados. Em Londres, o premiê britânico, David Cameron, confirmou a informação de que todo o pessoal diplomático do local está livre e em segurança.

Atta Kenare/France Presse

Manifestantes iranianos invadem prédio da embaixada britânica em Teerã e trocam bandeira pela iraniana

Radan deu luz verde aos agentes que entraram em choque com os estudantes e os dispersaram usando bombas de gás lacrimogêneo, diz a Fars, acrescentando que ao menos um dos manifestantes feridos encontra-se internado em estado grave.

O grupo que conseguiu invadir o local se desprendeu dos milhares que protestavam em frente à embaixada. Uma segunda propriedade consular britânica invadida também foi esvaziada, disse Radan.

O Reino Unido tinha feito um pedido ao Irã para que tomasse medidas urgentes para controlar a situação na embaixada, depois de receber informações de que manifestantes invadiram dois complexos da missão britânica na capital iraniana.

"Autoridades falaram com o iraniano encarregado (um diplomata) em Londres para pedir às autoridades iranianas que tomem medidas urgentes para garantir que a situação seja controlada, e para que protejam nosso complexo diplomático, como são obrigados a fazer segundo a lei internacional", disse o Departamento de Relações Exteriores britânico em comunicado.

INVASÃO

Segundo relatos, o grupo composto em sua maioria por militantes estudantis retiraram a bandeira britânica do haste, colocaram fogo nela e subiram a bandeira nacional do Irã no lugar.

Os manifestantes, que protestavam contra as sanções de Londres a Teerã por seu programa nuclear, também quebraram as janelas com pedras e queimaram bandeiras britânicas e israelenses, segundo imagens exibidas ao vivo pela televisão.

Vahid Salemi/Associated Press

Manifestante corre dentro da embaixada britânica enquanto carro da diplomacia é incendiado durante invasão

O protesto ocorre após o Irã aprovar a redução dos laços diplomáticos com o Reino Unido para o nível mínimo em resposta às novas sanções impostas pelos europeus.

Os estudantes presentes entraram em confronto com as forças polícias que tentavam conter a manifestação e anunciaram que "a embaixada do Reino Unido deveria ser tomada", enquanto gritavam "morte à Inglaterra".

Uma multidão de cerca de mil pessoas, segundo a emissora americana de TV CNN, se reuniu em frente ao prédio da embaixada para protestar contra o Reino Unido. De acordo com a imprensa local, um dos manifestantes levava uma imagem emoldurada da rainha Elizabeth 2ª.

Os protestos pediam que o embaixador britânico fosse mandado de volta a sua terra natal imediatamente. A agência de notícias semi-oficial Mehr afirmou que documentos diplomáticos eram atirados pelas janelas e queimados.

Segundo a agência, o pessoal da embaixada deixou o prédio por uma porta traseira.

O Ministério de Relações Exteriores do Reino Unido disse que se sentia "ultrajado" pelas ações e pediu às autoridades iranianas que honrassem os compromissos internacionais de proteger as missões diplomáticas e seus funcionários.

"Isso é inaceitável e nós condenamos tal ação", disse em comunicado. "Esperamos que o governo iraniano haja de forma urgente para controlar a situação e garantir a segurança de nossos funcionários e nossa propriedade".

De acordo com uma outra agência iraniana, a Irna, um outro grupo de manifestantes invadiu uma segunda representação diplomática britânica, no norte da cidade, e se apropriou de "documentos sigilosos".

A emissora iraniana Irib informou que a polícia estava tentando retirar cerca de cem manifestantes de dentro da embaixada britânica em Teerã.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros