Sábado, 13 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,43
euro R$ 5,95
libra R$ 5,95

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,43
euro R$ 5,95
libra R$ 5,95

Justiça Segunda-feira, 01 de Agosto de 2022, 14:47 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Segunda-feira, 01 de Agosto de 2022, 14h:47 - A | A

PROGRAMA MAIS MT CIRURGIAS

Prefeituras não realizam cirurgias com recursos na ordem de R$ 18 mi já repassados

Representantes do Cosems-MT serão ouvidos para que, na sequência, o TCE-MT emita uma série de recomendações aos municípios e ao Estado

Da Redação

Cerca de R$ 18 milhões foram repassados do governo do Estado para os 141 municípios de Mato Grosso. O objetivo era que o recurso fosse aplicado na realização de cirurgias eletivas, por meio do programa Mais MT Cirurgias. Os procedimentos, contudo, não foram realizados até o momento. A denúncia é do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT), que apontou a ineficiência dos munícipios na execução do programa. Segundo o TCE, não foram devidamente realizadas nem as cirurgias nem as prestações de contas. 

O conselheiro Guilherme Antonio Maluf, supervisor do Comitê Temático de Saúde do TCE, explicou que, com as irregularidades apontadas, os representantes do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Estado (Cosems-MT) serão ouvidos para que, na sequência, o TCE-MT emita uma série de recomendações aos municípios e ao Estado.

"A proposta do programa é perfeita, só que sua execução não está sendo eficiente. Temos muita gente nas filas de espera", disse. 

Esta é a segunda reunião do grupo, que tem trabalhado para levantar os pontos mais críticos da Saúde em Mato Grosso e propor soluções.

"O trabalho segue uma visão diferente, que vai além da aplicação de multas e sanções. Nosso principal objetivo é que o sistema funcione lá na ponta, para o cidadão. Por isso, neste caso, vamos fazer as recomendações para que o programa se adeque", completou.

Na ocasião também foi planejada a próxima ação, referente ao levantamento de dados sobre vacinação. "Essa questão passa por dificuldades, seja pelo recebimento dos imunizantes, na aplicação ou pela priorização de outras vacinações como a de Covid-19. Então as vacinas básicas estão em atraso. O levantamento vai nos auxiliar a pensar em como restabelecer os números que caíram nos últimos anos."

Vale lembrar que, recentemente, o Comitê solicitou a todas as 141 prefeituras do estado informações para traçar um panorama da rede estadual de saúde. O formulário enviado aos gestores inclui questionamentos relacionados, por exemplo, à quantidade de Unidades de Pronto Atendimento (UPA), de Unidades de Saúde (UBS), Centros de Especialidade Médica (CEM) e hospitais de grande porte.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros