Terça-feira, 16 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,45
euro R$ 5,94
libra R$ 5,94

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,45
euro R$ 5,94
libra R$ 5,94

Justiça Quarta-feira, 28 de Setembro de 2022, 15:06 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Quarta-feira, 28 de Setembro de 2022, 15h:06 - A | A

ELEIÇÕES 2022

Justiça suspende vídeo em que deputado acusa "colega" de "tara por presidiário"

Ulysses Moraes acusou Allan Kardec de manter simpatia por detentos

RAFAEL COSTA
Da Redação

O juiz eleitoral Fábio Henrique Rodrigues de Moraes Fiorenza determinou que o deputado estadual e atual candidato a deputado federal, Ulysses Moraes (PTB), remova das redes sociais um vídeo no qual acusa o colega de Parlamento e concorrente à Câmara dos Deputados, Allan Kardec (PSB), de ter "carinho" com presidiários de Mato Grosso.

A defesa de Allan Kardec afirmou que o vídeo tinha caráter difamatório e não representava a realidade e sua ideologia.

O conteúdo do vídeo fazia referência ao candidato do PT à Presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva, citando-o como "ex-presidiário" e, sob o pretexto de discutir a população carcerária, dizia que Kardec tinha uma "tara" e "um carinho especial" por presidiário.

Ao julgar o pedido de liminar, foi constatado que houve afirmação de caráter difamatório, Ulysses Moraes induz a ideia de que Allan Kardec apoia pessoas que cometem crimes como roubo, homicídio e estupro.

"Logo, defiro a medida liminar postulada para determinar a remoção da postagem aludida nesta decisão em até 24 horas", diz um dos trechos da decisão.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros