Segunda-feira, 17 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,38
euro R$ 5,76
libra R$ 5,76

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,38
euro R$ 5,76
libra R$ 5,76

Justiça Sexta-feira, 26 de Outubro de 2018, 16:10 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Sexta-feira, 26 de Outubro de 2018, 16h:10 - A | A

APROPRIAÇÃO DE SALÁRIOS

Justiça condena Eliene Lima a 7 anos por pagar empregados com dinheiro da Câmara dos Deputados

LEONARDO HEITOR

O juiz Paulo Cézar Alves Sodré, da Sétima Vara Federal de Cuiabá, condenou o ex-deputado federal a sete anos e seis meses de prisão. Ele é acusado de ter cometido o crime de peculado, por ter contratado dois empregados domésticos para uso pessoal através da Câmara dos Deputados.

 

Marcos Lopes/HiperNotícias

Eliene Lima/deputado/CRM/debate

 

Segundo o Ministério Público Federal, os dois empregados recebiam seus salários como assessores parlamentares, ou seja, como se trabalhassem na Câmara dos Deputados. Além disso, ambos ainda acusavam Eliene Lima de cobrar parte dos rendimentos que Joecy Campos Rodrigues e Edevaldo Alves Garcia recebiam mensalmente pelo Legislativo federal.

 

"Segundo a acusação, os servidores públicos nunca chegaram a prestar as atividades para qual foram nomeados, de modo que o denunciado teria se apropriado da maior parte da remuneração paga pela Câmara dos Deputados que seria destinada a Joecy e Edevaldo, causando o prejuízo ao erário de R$ 148.090,00", diz o juiz na decisão.

 

Os advogados de Eliene apontaram que a denúncia de ambos foi motivada por "insatisfações ou inconformismos". A defesa destacou que a motivação de Joecy seria pelo fato de que ela não teria recebido uma casa do parlamentar e a de Edevaldo porque teria sido demitido.

 

Joecy trabalhava como empregada doméstica de Eliene, enquanto que Edevaldo recebia as pessoas que vinham do interior para tratamento médico na Capital. Cabia a ele também agendar reuniões e programar o contato do eleitorado com o parlamentar, aponta a defesa do ex-deputado federal.

 

Ambos relataram que recebiam seus salários de assessores parlamentares pela Câmara dos Deputados e repassavam parte dos valores para pessoas que encaminhavam o dinheiro a Eliene. As práticas teriam ocorrido, segundo a denúncia, entre fevereiro de 2007 e abril de 2009.

 

Além de condenar o ex-deputado, o juiz ainda enviou cópias do processo para a Polícia Federal e para o Ministério Público Federal, tendo em vista que segundo o magistrado, as testemunhas de defesa Milton Aparecido da Cunha, Fabiano Gomes Silva e Hélio Pimenta Braga teriam cometido falso testemunho nas audiências relativas ao caso.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

benedito costa 26/10/2018

Na verdade esse Eliene Lima, nunca mais se elege a qualquer coisa que seja no nosso estado, Nem mesmo seu filho deficiente ele conseguiu o eleger em anos anteriores. Foi comparsa do Riva na roubalheira da assembléia e tenta agora a querer voltar na política, acho melhor ele dar aula em cursinhos mais não ensinar alunos a roubar.

positivo
0
negativo
0

1 comentários

1 de 1

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros